Preços dos imóveis tiveram alta de 0,15% em fevereiro

Valor médio do metro quadrado dos imóveis cresceu na maioria das capitais do brasil

Depois de uma estabilidade nos custos dos imóveis, com queda acentuada em 2019, o mês de fevereiro marcou uma alta de 0,15% na quantia das casas. O mundo das finanças pessoais gira e, com a baixa taxa de juros, os financiamentos imobiliários devem aumentar em 2020.

E se você está pensando em comprar um imóvel neste ano, deve estar se perguntando: será que este é o melhor momento? Segundo especialistas no setor, a tendência é de que os preços dos imóveis subam em 2020.

Três anos de queda nos valores dos imóveis

O setor imobiliário foi um dos mais afetados pela crise econômica. Segundo o índice FipeZap, que acompanha o custo médio do metro quadrado de apartamentos prontos em 20 cidades brasileiras, em 2018, houve uma queda real de 0,70% nos valores dos imóveis.

A recuperação do setor começou por grandes cidades como São Paulo, que puxou uma alta nos custos de 5,18%, superando a inflação em 2019. Além disso, no mesmo ano, outras 10 capitais se recuperaram, como a cidade do Rio de Janeiro e de Florianópolis.

Alta nos preços dos imóveis

A inversão começou nos últimos meses. Em fevereiro, os imóveis ficaram 0,15% mais caros. O aumento foi maior que o esperado e superou a inflação do período, de 0,12%.

A pesquisa FipeZap divulgou o levantamento feito em 16 capitais. A maior alta aconteceu em Florianópolis, com um aumento de 0,74%, seguido por Maceió, 0,61%, e Brasília, 0,57%.

Confira mais alguns dados da pesquisa abaixo:

  • O aumento média dos imóveis foi de 0,31%, percentual próximo à inflação do período. Em outras palavras, mesmo com a alta nas quantias, os imóveis não tiveram um aumento real, e a alta não deve ser percebida pela maioria dos consumidores;
  • Os custos ficaram mais caros em 11 das 16 capitais. Fora as três de maior destaque, também estão inclusas capitais como Porto Alegre (0,42%), Campo Grande (0,38%), Vitória (0,33%), Belo Horizonte (0,24%), Goiânia (0,15%), São Paulo (0,15%), Salvador e Rio de Janeiro (0,08% em ambas);
  • Cinco capitais analisadas tiveram queda nos preços, sendo elas: Manaus (-0,42%), Recife (-0,32%), Fortaleza (-0,08%), Curitiba (-0,06%) e João Pessoa (-0,03%);
  • Na nova pesquisa, o Rio de Janeiro manteve-se como a capital com o preço médio do metro quadrado mais caro do país, R$ 9.295. A capital carioca foi seguida por São Paulo (R$ 9.033) e Brasília (R$7.383),
  • A pesquisa também apontou as capitais com valor médio do metro quadrado mais barato do país, sendo elas: Campo Grande (R$4.173), Goiânia (R$4.309) e João Pessoa (R$4.328).

Qual é a tendência no valor dos imóveis?

Mesmo com a leve alta, especialistas no setor imobiliário afirmam que os imóveis estão mais baratos. E junto a isto, a diminuição de taxas de contrato e de juros, aliada a uma inflação controlada, torna o financiamento imobiliário e a compra de imóveis, uma boa opção neste momento.

No primeiro bimestre do ano, a pesquisa FipeZap mostrou uma alta de  0,31% no valor, andando lado a lado com a inflação estimada do período, com 0,33%. Com isso, novamente o mercado mostra que ainda não houve uma alta real na quantia dos imóveis.

A recuperação do custo dos imóveis em 2020 deve se manter assim, abaixo da inflação. Com a expectativa pelas reformas, às reduções das taxas de juros e os cortes na taxa Selic, a projeção é que o setor se recupere e alcance um crescimento de 3% no ano, como era previsto.

Setor imobiliário deve puxar alta do PIB em 2020

A expectativa do Banco Central é que o setor imobiliário surpreenda em 2020. Segundo estimativas, o Brasil deve crescer 2,2% neste ano, e o crescimento mais elevado após a recessão seria puxado pelo setor, que tende a crescer entre 3 e 4%.

Instagram