EM PARCERIA COM CASAS ICÔNICAS NA CIDADE, HEINEKEN INICIA MOVIMENTO PARA RETOMADA DA CENA CULTURAL E DA VIDA NOTURNA NO PÓS-PANDEMIA

Marca participa da retomada de símbolos da cena paulistana como a Casa de Francisca e o Bona Casa de Música, para colaborar nas relações com os espaços urbanos e contribuir ativamente com o setor de entretenimento.

A vida noturna e a cena cultural do país são hoje, sem dúvida, uma das maiores incógnitas do mundo pós-pandemia. Olhando esse cenário, a marca Heineken® inicia um movimento de olhar para a cidade, em parceria com organizações culturais que oferecem uma relação genuína das pessoas com os espaços urbanos, propondo um elo entre o agora e o futuro e visando, assim, o momento de retomada segura, com o maior controle da pandemia. A ideia é contribuir para que os espaços sociais, sempre presentes na rotina de quem estava acostumado a aproveitar a agenda de eventos culturais de São Paulo, ainda possam se manter como ambientes de convívio, difusão de vozes diversas e reflexões a respeito do futuro das cidades.

Heineken®

A iniciativa partiu do anúncio do fechamento de locais como Casa de Francisca , no centro de São Paulo, e o Bona Casa de Música , estabelecimento do bairro de Pinheiros, ambos lugares emblemáticos e símbolos da resiliência que compõem a história da capital. “Lugares tão icônicos e importantes para a construção da cultura urbana fechando mostrou a urgência de um novo olhar para a cidade, para a vida noturna e todo seu entorno. Com uma marca tão presente em momentos de celebração, queremos olhar para o futuro e juntos criar soluções completamente novas, repensar os espaços e a cidade. Por isso, além de agir em apoio, também estamos co-criando práticas capazes de reconectar pessoas nas cidades”, comenta Gabriel D’Angelo Braz, diretor de marketing da marca Heineken® no Brasil.

Muito além de aporte financeiro, a marca quer colaborar com a construção de experiências marcantes e criativas que preservem uma parte do setor artístico ativo e prestigiado pelo público, especialmente para o momento da retomada, quando a população voltar a vivenciar intensivamente os principais polos culturais espalhados pela cidade.

A Casa de Francisca é um espaço sociocultural que desde 2006 cultiva uma curadoria voltada ao comprometimento artístico e à diversidade musical. Desde 2017, a Casa ocupa um patrimônio histórico restaurado no centro da capital, conhecido como Palacete Teresa, e que também já abrigou a primeira loja de instrumentos da cidade, chegando a ser conhecido como “A esquina musical de São Paulo“.

Casa de Francisca

Casa de Francisca – Crédito: Divulgação

Já o Bona Casa de Música é uma intimista casa de shows, considerada também referência no meio musical para as pessoas habitués do bairro de Pinheiros. Conhecida como “uma casa de música pensada por músicos para músicos“, o local tem uma programação constante, diversa e um trabalho de curadoria cuidadoso para oferecer aos espectadores a melhor experiência sonora possível.

Bona Casa de Música

Bona Casa de Música – Crédito: Divulgação

“O setor cultural, responsável por uma de nossas maiores riquezas, junto ao setor de eventos, bares e restaurantes, é um dos setores mais atingidos pela pandemia e carece da soma de forças de muitas frentes”, diz Rubens Amatto, co-fundador da Casa de Francisca.

“Sabemos que o movimento iniciado envolverá um longo caminho de reconstrução, e agora com o apoio da Heineken®, que se soma a outros esforços, vamos conseguir manter e fazer a diferença nestas comunidades culturais. E assim celebrar a vocação de seus projetos para viver uma cidade mais afetiva e acolhedora a todos os visitantes”, Manuela Fagundes, co-fundadora do Bona Casa de Música.

Além da Casa de Francisca e do Bona Casa de Música, outros pontos culturais dos mais variados segmentos também farão parte da iniciativa, entre alguns deles: Exit, Audio Club, Fatz + Praça, Heavy House, Estepe, Cavepool, e até mesmo o Studio SP, casa famosa em São Paulo que fechou suas portas em 2013, e que agora retomará suas atividades. “São perfis diferentes e cada um com seu papel de ressignificar a cena, o entretenimento e serem espaços de conexões relevantes. Nosso projeto não é de recuperação de casas, e sim de apoio à vida noturna com um olhar para o futuro das cidades”, complementa Gabriel, diretor da marca.

O projeto prioriza a segurança das pessoas e segue protocolos de saúde e o calendário de vacinação no país para definição da programação de cada um dos espaços, que manterão agendas independentes.

Grupo HEINEKEN no Brasil


O Grupo HEINEKEN chegou ao Brasil em maio de 2010, após a aquisição da divisão de cerveja do Grupo FEMSA e, em 2017, adquiriu a Brasil Kirin Holding S.A (“Brasil Kirin”), tornando-se o segundo player no mercado brasileiro de cervejas. O Grupo gera mais de 13 mil empregos e tem 15 unidades produtivas no país, sendo 12 cervejarias, localizadas em Alagoinhas (BA), Alexânia (GO), Araraquara (SP), Benevides (PA), Caxias (MA), Igarassu (PE), Igrejinha (RS), Itu (SP), Jacareí (SP), Pacatuba (CE), Ponta Grossa (PR) e Recife (PE), duas micro cervejarias em Campos do Jordão (SP) e Blumenau (SC) e uma unidade de concentrados para refrigerantes em Manaus (AM). No Brasil, o portfólio de cervejas do Grupo HEINEKEN é composto por Heineken®, Sol, Amstel, Kaiser, Bavaria, Eisenbahn, Baden Baden, Devassa, Schin, Glacial, No Grau, Kirin Ichiban e Lagunitas. O portfólio de não alcoólicos inclui Água Schin, Schin Tônica, Skinka e os refrigerantes Itubaína, Viva Schin e FYs. Com sede em São Paulo, a companhia é uma subsidiária da HEINEKEN NV, a maior cervejaria da Europa.

Informações adicionais:
https://www.heinekenbrasil.com.br

Instagram