Dicas para evitar fraudes com cartão de crédito

Com o avanço da tecnologia, fraudes com cartões de crédito tornam-se cada vez mais comuns e, para não cair em golpes, é importante adotar uma série de cuidados. Pesquisa de uma das mais importantes operadoras de cartões do país aponta que o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de fraudes no comércio virtual na América Latina, atrás apenas do México.

Algumas atitudes simples podem ser úteis para minimizar esses riscos, principalmente neste período em que estamos mais tempo em casa e fazemos muitas compras online para adquirir produtos e serviços.

Entre as dicas mais importantes está a de não compartilhar as informações do cartão, especialmente o Código de Segurança, também conhecido como CVV, os três dígitos localizados na parte de trás do cartão. Se você receber uma ligação ou mensagem de alguém pedindo esse dado, saiba que a chance de ser um golpe é grande. Nenhuma empresa idônea pedirá essa informação para finalizar uma venda ou prestação de serviços.

Quando se usa um cartão de crédito pré-pago virtual, também é preciso informar o CVV. Mas, neste caso, esse código é obtido diretamente do aplicativo, sem que você precise agir. O cartão virtual oferece ao usuário mais segurança e praticidade na hora de fazer compras online, mas muitas pessoas ainda têm dificuldades de entender seu funcionamento. Resumidamente, trata-se de um cartão com função de crédito ou débito que funciona da mesma forma que o cartão físico utilizado no dia a dia, mas com o diferencial de possibilitar apenas transações online e de não ter fatura – você recarrega o cartão com o valor que desejar.

Entre as vantagens de ter esse tipo de cartão estão a praticidade (você nunca vai perdê-lo); segurança (oferece uma proteção a mais contra golpes virtuais, sites falsos, fraudes e clonagens, pois, caso algo errado aconteça, é possível cancelar e criar outro em minutos); organização (você pode criar um cartão virtual apenas para pagamento de aplicativos de comida, streaming ou qualquer outro pagamento que achar necessário); e controle financeiro (é você que determina o valor que carregará o cartão).

Outra opção para as compras via internet é o cartão online, versão digital do cartão físico. De acordo com a política de segurança de cada instituição bancária, é possível ter o cartão online com um número diferente do físico, permitindo realizar compras em sites e cadastro em aplicativos de compras recorrentes, tudo isso com um código de segurança (CVV) dinâmico, que muda de tempos em tempos e evita fraudes.

Mas antes de comprar qualquer coisa online, verifique quais são os sites seguros. Conferir a reputação da empresa no portal “Reclame Aqui”, perguntar para amigos e conhecidos se já compraram nessa loja e checar se o site tem o “https://” são rotinas essenciais.

Quando estiver em um estabelecimento físico, nunca perca de vista o seu cartão. Fique de olho para garantir que ele não vai ser fotografado ou evitar que alguém possa anotar os dados. E claro, seja discreto quando for digitar a sua senha.

Caso você receba alguma mensagem com um link, não clique. Sempre que possível, entre em contato com a pessoa que enviou e confira se não se trata de um SPAM – esse link pode estar associado a um programa que irá registrar as suas informações pessoais.

Cartão de crédito

Também é fundamental olhar com frequência a fatura do seu cartão de crédito. Assim fica fácil saber se há alguma despesa que não foi feita por você. Caso isso ocorra, entre em contato imediatamente com seu o banco para tomar providências.

O cartão é um meio de pagamento super prático e que resolve problemas de caixa em vários momentos difíceis de nossas vidas financeiras. Mas todo o cuidado é pouco para evitar aborrecimentos e prejuízos que podem ser evitados com algumas medidas simples e efetivas.

Por: Julio Cesar Vergaças Fernandes, diretor da Rede SP Metro II do Santander

Julio Cesar Vergaças Fernandes, diretor da Rede SP Metropolitana II do Santander-Foto:Divulgação
Instagram