Dependentes químicos e preconceito: saiba mais

Quando alguém se torna um dependente químico, sua luta está além de combater o vício, também é complicado enfrentar todo o preconceito que sofre, tanto com desconhecidos, como com a própria família muitas vezes, isso porque a sociedade na qual vivemos expõe tal doença de forma muito negativa, e muitas pessoas acabam achando que pessoas viciadas devem ser desprezadas.

Muitas vezes, dependentes químicos não vão atrás de ajuda em clínicas de reabilitação principalmente por terem medo desse desprezo e olhares tortos, que a sociedade costuma dar, mas falaremos a seguir como ocorre esse preconceito, e como ajudar um dependente químico a ter uma nova chance para reconstruir sua vida, sem drogas e sem preconceito.

Falta de informação

Geralmente, o preconceito criado das pessoas com usuários de drogas, ocorre por desinformação da dependência química, e falta de entender que a mesma é considerada uma grave doença, que só com um bom auxílio  em uma boa clínica de recuperação masculina, por exemplo, consegue ser tratada.

Muitos dependentes químicos acabam nas ruas e sem auxílio para buscar ajuda para os mesmos, devido à essa visão preconceituosa sobre a doença, onde a família não aceita e expulsa o indivíduo de casa, sem dar nenhuma assistência para procurar um bom tratamento de drogas.

Como esse tipo de preconceito pode impactar na vida do dependente químico?

O vício das drogas não prejudica somente a saúde física do usuário, pode causar sérios danos psicológicos, ainda mais se existe esse preconceito e exclusão na sociedade. Por exemplo, geralmente, quando as pessoas tem preconceito com um usuário, o mesmo perde seu ciclo de amizades, fica sem apoio familiar e, na maioria das vezes perde o emprego, tudo que impacta muito sua vida negativamente.

E tudo isso, esse sentimento de se sentir excluído, muitas vezes, pode ser também o incentivo para muitas pessoas se afundarem mesmo nas drogas, e não buscar ajuda ou sentirem a necessidade de fazer uma internação voluntária, buscando um bom tratamento para voltar à vida normal.

Como a família pode ajudar?

Em muitos casos, infelizmente os primeiros comportamentos preconceituosos partem da família com o dependente, e é onde ele se vê sozinho, sem sua base, servindo de ajuda e incentivo para buscar um bom tratamento de drogas.

Porém, o papel da família nesse momento delicado é fundamental para a pessoa não se afundar nas drogas, e ter a força e incentivo necessário para não desistir da vida e resolver se internar para se cuidar de forma correta, para ficar limpo das drogas após um tempo. A família aconselhando, mostrando que está lá para ajudar e que vão ajudar a vítima é o essencial para essa pessoa ter forças para lutar.

Imagem de Лечение Наркомании por Pixabay 

Instagram