A tecnologia 5G vai revolucionar o mercado de criptomoedas

Até 2025, teremos 1,8 bilhão de conexões 5G no mundo acelerando serviços e negócios

É inegável dizer que a transformação digital ganhou um forte impulso com a pandemia mundial que estamos vivendo. E já há inúmeras evidências em 2021 para afirmarmos que o ano será ainda mais decisivo para o destino da criptografia no planeta.

A expansão da tecnologia 5G, a próxima geração de rede de internet móvel, é uma destas evidências. Em um futuro muito próximo, essa inovação pode melhorar muito a velocidade de navegação de dispositivos móveis, como tablets e celulares, e decidirá como a mineração é construída, quais serviços novos vão surgir no mercado e quais aplicativos DeFi estarão em desenvolvimento, ampliando ainda mais este universo das finanças descentralizadas.

Um novo paradigma na transmissão de dados

Uma das vantagens será na hora de negociar. Não será mais preciso localizar servidores perto de criptomoedas, e o segmento de negociação de alta frequência chegará a um novo nível.

A latência ultrabaixa da nova tecnologia vai acelerar o envio e a resposta de comandos entre dispositivos e servidores. Uma rede 5G pode entregar transações de criptomoeda 100 vezes mais rápidas do que as redes 4G. Dados viajarão em microsegundos e, assim, as negociações ganharão ainda mais tração.

Com a adoção maciça da rede 5G, você poderá, por exemplo, viajar tranquilamente no seu carro autônomo., ou – um acontecimento não tão desejado – receber uma multa no mesmo instante em que passa no sinal vermelho de um semáforo inteligente, que funciona dentro da infraestrutura da Internet das Coisas (IoT).

Sem falar no acesso a todo tipo de pagamento, que se tornará muito mais facilitado e impactará diretamente no mercado de criptomoedas e em toda a tecnologia de blockchain.

Aí outra dúvida surge: como o 5G criará condições de concorrência iguais em qualquer lugar do mundo? Principalmente, considerando-se um cenário onde os investimentos nesta nova tecnologia estão bastante descompassados pelos cinco continentes.

Países como Estados Unidos, China, Suíça e Coreia do Sul estão na dianteira dessa corrida. O Brasil está na fase do leilão das frequências da quinta geração da internet móvel, com implantação comercial prevista para entrar em operação em 2022.

Expansão do acesso: a grande reinvenção

Embora existam muitas questões a serem respondidas, os prognósticos são bastante promissores com a disseminação da rede 5G.

O valor do Bitcoin hoje certamente já sente os efeitos positivos dentro deste contexto. As criptomoedas mostram, mais do que nunca, um grande potencial para se estabelecerem como unidade de pagamento nestas novas redes ultraconectadas e já é possível encontrar várias formas de como comprar Bitcoin. Já existem, inclusive, criptomoedas sendo pensadas e desenvolvidas especialmente para as redes IoT.

Com os serviços 5G, você poderá instalar e administrar uma carteira de criptomoedas diretamente do seu celular, de onde estiver. A conexão entre pessoas do mundo todo se tornará muito mais simples, o que tende a reduzir custos e melhorar a qualidade de serviços. Existe muita gente no planeta sem conta bancária e que poderá usar carteiras criptográficas para se relacionar neste universo novo.

Mais do que uma promessa, um futuro promissor

A próxima geração de redes sem fio vem se provando como segura e extremamente ágil, prometendo um enorme avanço da economia das máquinas. Há uma revolução em curso, aberta pelas inúmeras possibilidades trazidas pela desmaterialização do dinheiro e pela hiperconexão.

Espera-se que as pessoas vivam melhor com isso, porque poderão se conectar a mais tipos de dispositivos, e que os investidores de criptomoedas descubram um novo mundo de ganhos a longo prazo.

Foto: iStock

Instagram