SURFE EM ALTA: PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA DOS ESPORTES INDIVIDUAIS, TRÊS BRASILEIROS OCUPAM O TOPO DO RANKING MUNDIAL

Após quatro etapas do World Surf League Championship Tour, Gabriel Medina está em 1º, seguido de Ítalo Ferreira e Filipe Toledo e Tatiana Weston-Webb é a vice-líder do feminino

O feito inédito conquistado pelos atletas brasileiros no World Surf League Championship Tour 2021 comprova que o domínio verde-amarelo tem imperado, com três vitórias consecutivas nas três etapas da “perna australiana”, já disputadas. No atual ranking, os Top 3 são Gabriel Medina, líder do campeonato, seguido por Ítalo Ferreira e, com a vitória no última segunda-feira (10), Filipe Toledo subiu para a terceira colocação. É a primeira vez na história das modalidades esportivas individuais que o Brasil ocupa as três primeiras posições do ranking mundial.

Gabriel Medina,Ítalo Ferreira,Filipe Toledo e Tatiana Weston-Webb

Vale destacar a performance impecável da gaúcha Tatiana Weston-Webb que está na vice-liderança no ranking das quatros primeiras etapas desta temporada. Desde que a seleção brasileira chegou à Austrália, em março, com 12 atletas da elite mundial – onze do masculino e uma do feminino – para uma agenda repleta de quatro eventos seguidos (abril e maio), só tem dado Brasil no pódio.

Ivan Martinho, CEO da WSL Latin America

“É um feito histórico que deve ser celebrado por todos os brasileiros e que serve de inspiração para as novas gerações do surfe nacional, não é todo ano que temos três representantes de um mesmo país no topo de um esporte competitivo de alto rendimento”, afirma Ivan Martinho, CEO da WSL Latin America.

Uma coisa é certa, os brasileiros vão voltar com bagagem extra da Austrália, com os troféus que têm conquistado. Tudo começou na 2ª etapa – Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona – quando o atual campeão mundial, Ítalo Ferreira levou a melhor na final verde-amarela com Gabriel Medina, depois de passar por Filipe Toledo nas semifinais.

Rip Curl Narrabeen Classic apresentado pela Corona

No Rip Curl Narrabeen Classic apresentado pela Corona, em Sidney, foi a vez de Medina levantar o troféu de campeão e tirar a liderança do ranking de Ítalo Ferreira, com Tatiana sendo vice-campeã na final feminina. Já no Boost Mobile Margaret River Pro apresentado pela Corona, a festa foi completa com uma dobradinha brasileira no alto do pódio. Filipe Toledo venceu a final desta 4ª etapa com Jordy Smith e Tatiana derrotou a heptacampeã Stephanie Gilmore.

As competições não param e os atletas já estão na ilha de Rottnest, em West Australia, para a 5ª etapa do Tour, o Rip Curl Rottnest Search apresentado pela Corona, que tem início neste domingo (16), noite de sábado no Brasil. A etapa, que fecha a “perna australiana”, tem prazo até 26 de maio. As transmissões acontecem, ao vivo, pelo www.worldsurfleague.com, pelo Youtube e aplicativo da WSL e pelos canais da ESPN Brasil.

World Surf League 

Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo. Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave. Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System. A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo. Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

TOP 10 Ranking Masculino 2021/ WSL (após 4 etapas)

1º- Gabriel Medina (BRA) – 28.920 pontos

2º- Ítalo Ferreira (BRA) – 24.150

3º – Filipe Toledo (BRA) – 20.735

4º – John John Florence (EUA) – 19.395

5º – Jordy Smith (AFR) – 19.185

6º – Griffin Colapinto (EUA) – 16.820

7º – Kanoa Igarashi (JPN) – 16.130

8º – Ryan Callinan (AUS) – 14.140

8º – Conner Coffin (EUA) – 14.140

10º – Frederico Morais (PRT) – 14.055

TOP 10 Ranking Feminino 2021/ WSL (após 4 etapas):

1ª – Carissa Moore (EUA) – 29.970 pontos

2ª – Tatiana Weston-Webb (BRA) – 26.495

3ª – Stephanie Gilmore (AUS) – 22.035

4ª – Caroline Marks (EUA) – 21.305

5ª – Tyler Wright (AUS) – 19.965

6ª – Sally Fitzgibbons (AUS) – 18.185

7ª – Johanne Defay (FRA) – 16.845

8ª – Isabella Nichols (AUS) – 16.200

9ª – Courtney Conlogue (EUA) – 14.485

9ª – Bronte Macaulay (AUS) – 14.485

9ª – Keely Andrew (AUS) – 14.485

Top 3: Gabriel Medina é o atual líder do ranking da WSL, seguido de Ítalo Ferreira e com Filipe Toledo em 3º (Foto: Matt Dunbar/WSL)
Instagram