Primeira corrida de Ayrton Senna completa 40 anos em março

Tricampeão mundial fez sua primeira corrida no circuito inglês de Brands Hatch, ficando em quinto lugar, e logo depois conseguiu a vitória no mesmo ano

De longe, uma das figuras mais emblemáticas do automobilismo mundial foi o corredor Ayrton Senna da Silva, que deu o pontapé inicial de sua carreira no circuito inglês de Brands Hatch, no dia 1º de março de 1981, fazendo história com uma das carreiras mais celebradas da Fórmula-1.

Diferentemente do que muitos pensam, Ayrton começou a brilhar no kart, onde foi bicampeão paulista duas vezes seguidas (1976 e 1977) e tricampeão brasileiro (1978, 1979 e 1980), faltando apenas o título mundial, com dois vice-campeonatos, em 1979 e 1980.

Chico Serra, piloto de Fórmula-1 da equipe Fittipaldi, vendo o talento do garoto, recomendou Ayrton a Ralph Firman, que estava com seu time na Fórmula Ford 1600, o começo para todos que queriam começar a correr na Europa.

Firman, Ayrton e Chico se encontraram então para discutir as condições do contrato para a temporada de 1981. Senna queria uma quantidade maior de testes e corridas do que o dono da equipe estava disposto a oferecer, fora que o piloto tinha apenas dois terços do valor total que a Van Diemen, empresa de Ralph Firman, exigia para custear o ano.

Mesmo com tudo isso, o contrato foi assinado e Ayrton da Silva começou a sua primeira temporada no automobilismo. A adoção do nome Senna veio através de uma sugestão de Chico para o jovem piloto, que a aceitou e logo aderiu.

Em sua primeira corrida, já pronto com os equipamentos necessários, como capacete  e uniforme, o carro novo não estava pronto ainda. Senna teve de correr com um chassi desatualizado e, mesmo assim, conseguiu chegar em quinto lugar. No domingo seguinte, chegou ao pódio com um terceiro lugar em Thruxton. Apenas em 15 de março, em Brands Hatch, ele conseguiu sua primeira vitória, sob uma intensa chuva.

Depois da vitória em Brands Hatch, Senna conseguiu 11 vitórias, cinco vice-lideranças e um quarto lugar, fora que ganhou por antecipação os dois títulos na Fórmula Ford 1600, quando ele anunciou que abandonaria o esporte para ajudar nos negócios da família.

Ayrton chegou a trabalhar com o pai, Milton, em sua empresa de acessórios automotivos, mas, ao ver o filho completamente deprimido por estar longe das pistas, ele permitiu que o filho voltasse novamente para sua verdadeira paixão.

Em seu retorno, passou a correr na Fórmula Ford 2000 pela equipe Rushen Green, onde ganhou o Inglês e o Europeu da categoria, com 21 vitórias em 28 corridas, sendo algumas delas preliminares das provas da Fórmula-1. Foi então que começou a ser notado por chefes de outras equipes.

Em 1983, Ayrton subiu para a Fórmula-3, principal categoria de base da F-1, onde foi para a equipe West Surrey, com uma boa quantidade de patrocinadores e um esquema forte de divulgação em jornais, a ponto de a Globo transmitir ao vivo uma corrida que poderia garantir o título para o brasileiro, em Silverstone, onde ele levou o segundo lugar. Porém, logo depois, ele conquistaria o título em uma disputa acirrada com o inglês Martin Brundle.

No mesmo ano, Senna realizou seus primeiros testes em carros de F-1: primeiramente, pela Williams, em Donington Park, quebrando o recorde da pista para modelos de motor aspirado; depois, pela Brabham, McLaren e Toleman, que acabou sendo a equipe escolhida para sua estreia, em 1984.

E foi assim que o grande Ayrton Senna, como conhecemos, surgiu. Logo em seu ano de estreia, conquistou três pódios pela Toleman; depois, venceu suas primeiras corridas pela Lotus e foi tricampeão mundial pela McLaren. 

Crédito: Reprodução | Instituto Ayrton Senna

Instagram