Laboratória abre inscrições para o 7º bootcamp de programação front-end para mulheres

Mais de 20 mil vagas serão abertas no setor de tecnologia do país nos próximos meses. São Paulo deve abrir 9,8 mil postos de trabalho e Minas Gerais aparece com a expectativa de mil novos cargos, de acordo com levantamento realizado pela Tech Jobs Report 2021, da Gama Academy. 

No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apenas 20% das pessoas que atuam na área tech são mulheres. Para mudar este cenário, a Laboratória, que acredita no potencial de mulheres da América Latina, abre processo seletivo na área de programação com foco em empregabilidade. 

Bootcamp

O bootcamp permite às mulheres desenvolverem uma carreira transformadora em tecnologia com o aprimoramento de habilidades técnicas e socioemocionais para ingressarem no mercado tech. De acordo com o relatório “Analyzing the Social and Economic Returns of Laboratoria´s Bootcamp”, lançado recentemente, após o primeiro ano de treinamento a média salarial das graduadas é de US $970,61. Além disso, muitas mulheres não tinham renda fixa antes do curso, aumentando assim, ainda mais o impacto da organização. Por exemplo, das 250 formadas no Brasil, aproximadamente 60% não estavam trabalhando antes do bootcamp. 

“Estar cursando o bootcamp da Laboratória significa estar o tempo todo entre mulheres extraordinárias e fazer parte de um grande projeto. Os primeiros meses de curso têm sido um mix de tudo isso e me sinto desafiada diariamente”, relata Magna Dutra, aluna que ingressou na sexta turma em junho de 2021. 

Aproximadamente 2.000 alunas já passaram pelo bootcamp no Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru, sendo que no Brasil mais de 90% ingressaram no mercado tech logo após a formação. Com o intuito de contribuir com o ecossistema corporativo, a Laboratória também conecta as graduadas com empregadores de vários setores e indústrias e já é vista hoje como fonte de talentos para mais de 750 empresas.

O curso, que tem início em janeiro de 2022, prepara as alunas para se tornarem desenvolvedoras front-end. Ele será remoto e a frequência das estudantes é obrigatória. Para se candidatar, a mulher precisa ter disponibilidade de se conectar ao curso cinco vezes por semana, de segunda a sexta, no período da tarde.  “Na Laboratória acreditamos que as limitações econômicas não devem ser uma barreira para o acesso a uma educação de qualidade e, por isso, as alunas não pagam nada durante o bootcamp. Depois de empregadas, fazem um pagamento que representa uma parte do custo total do curso, viabilizando assim a formação de outras mulheres”, afirma Juliana Facciolla, diretora institucional da Laboratória.

A Laboratória conta com o apoio do Facebook em mais uma edição do processo seletivo, parceria fundamental que ajuda a conectar a organização com mais mulheres que sonham em ingressar no mercado de tecnologia. 

“Muitas mulheres nunca tinham visto uma linha de código na vida antes do bootcamp e hoje são grandes programadoras em mais de 50 empresas no Brasil. Não queremos que a falta de oportunidade seja uma barreira para as mulheres ingressarem no mundo da tecnologia”, finaliza Juliana. 

As inscrições e a etapa online do processo seletivo vão até dia 12/10 e, para se inscrever, basta acessar o site https://selecao.laboratoria.la/.

Critérios de seleção

  • Apresentar-se e identificar-se como mulher.
  • Ter 18 anos ao final do bootcamp, 
  • Ter cursado o Ensino Médio em escola pública ou em escola privada com bolsa integral.
  • Não estar cursando uma universidade durante o bootcamp, já que a formação requer dedicação integral.
  • Ter disponibilidade para frequentar as aulas 5 horas por dia (no período da tarde), 5 vezes por semana, durante 6 meses. As aulas serão remotas. 
  • Viver em território nacional.

Data: janeiro 2022

Inscrições: de 19/07 a 12/10

Link: https://selecao.laboratoria.la/

LABORATÓRIA

A Laboratória capacita as mulheres para terem um futuro melhor e para desenvolverem uma carreira transformadora em tecnologia. Para cumprir nossa missão, oferecemos um bootcamp em que desenvolvemos habilidades técnicas e socioemocionais para que essas mulheres comecem uma carreira na área tech. Conectamos as graduadas com oportunidades de emprego de qualidade no setor e temos uma comunidade vibrante de graduadas que se apoiam mutuamente no crescimento de cada uma para que se tornem futuras líderes na América Latina. Mais de 2.000 mulheres já passaram pelo bootcamp da Laboratória no Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru e cerca de 83% conseguem um emprego na área tech após o bootcamp. 

Instagram: https://www.instagram.com/laboratoria_br/

Facebook: https://www.facebook.com/Laboratoriabr

Foto:Fernanda Solis

Instagram