Empresas de transporte rodoviário apostam em crescimento após pandemia

Setor prevê investimento de mais de R$ 3 bilhões para os próximos dois anos

A Associação Brasileira de Transportes Terrestres Interestaduais (Abrati) anunciou que fará investimentos devido à alta demanda do turismo rodoviário no 3º trimestre de 2021. Segundo a associação, a previsão para o último trimestre do ano é de crescimento ainda mais acentuado para as viagens de ônibus.

A projeção realizada pela Abrati tem como base alguns fatores, entre eles a demanda reprimida pela pandemia, o custo das passagens aéreas, a incerteza dos passageiros sobre viagens para destinos mais distantes e, ainda, a extensa malha rodoviária coberta pelas empresas do setor, como Viação Garcia, Cometa, Garcia, entre outras.

A previsão é de que a Abrati, que congrega a maioria das operadoras consolidadas do país, afirma que nos últimos três anos pré-pandemia suas associadas investiram na casa de R$ 5 bilhões no setor. Já para os próximos dois anos a projeção é um investimento acima de R$ 3 bilhões.

Segundo informações da entidade, este aporte não será aplicado na estruturação da operação das empresas, visto que já são organizações estruturadas. A aplicação será feita na renovação da frota e ampliação da oferta de serviços agregados, o que proporcionará geração de empregos e renda para a população.

As companhias também pretendem continuar apostando em inovações para o setor, como veículos double deckers e ônibus com duas classes de serviços.

Benefícios para os viajantes

A Abrati explica que os programas de recompensas para os passageiros também têm sido ampliados. O programa GIRO, o Viva Fidelidade, o Muviflex (da Planalto e Unesul), entre outros, oferecem vantagens e promovem viagens grátis aos viajantes fiéis.

Já a GBS – Viação Garcia- Brasil Sul colocou em fase experimental o “despacho de bagagens fácil”. Com esse benefício, o passageiro pode despachar sua bagagem antecipadamente, assim ele fica livre para usufruir dos serviços de alimentação e comércio dos terminais rodoviários, além de agilizar os embarques.

O setor também articula parcerias com redes de hotéis, restaurantes e agências de viagem, além da integração com aeroportos. Segundo a porta-voz da Abrati, Leticia Pineschi, “as empresas já estão oferecendo muito mais que mobilidade, são soluções em viagens, pacotes integrados com hospedagem e experiências locais, interligação de modais”.

Os números do transporte terrestre de passageiros

De acordo com dados fornecidos pela Abrati, o serviço regular de passageiros prestado por empresas como as suas associadas foi responsável pelo transporte de mais de 200 milhões de pessoas nos últimos cinco anos, oferecendo cerca de 1.097.515 gratuidades só em 2020.

Além disso, atendem a 97.839 pares de origem X destino, utilizam serviços e estabelecem 10.730 pontos de parada, apoio, lanche, refeição, troca de veículos e terminais de embarques rodoviários pelo Brasil.

Um dado que merece ser ressaltado é que segundo a última pesquisa da agência reguladora do sistema, a ANTT, o setor atingiu um nível de 75% de satisfação do usuário.

Foto: Viação Garcia

Instagram