Conheça a cachorra que vem lutando para melhorar a qualidade do ar no interior da Inglaterra

O futuro do planeta está nas mãos, ou melhor, nas patas certas.

Se você vive em uma cidade grande, com certeza sabe que nem sempre contamos com o melhor ar para respirar. O aumento da atenção com as mudanças climáticas e o uso de tecnologias que nos ajudem a melhorar nossa qualidade de vida no planeta tem ampliado as possibilidades.

Em cidades como São Paulo, nos canteiros de avenidas extremamente movimentadas, vemos monitores, nos postes, que indicam a qualidade do ar. Mas alguém bem distante daqui conseguiu unir essa mesma tecnologia com um jeito bem mais divertido de realizar a medição e com números bem mais próximos da realidade.

Baggy, a labradora

No Sul da Inglaterra, Matt Hunt, que comanda uma empresa de fontes alternativas de energia, e seu filho, Tom Hunt, tiveram uma ideia simples e, ao mesmo tempo, genial.

Os postes onde os monitores comuns ficam acoplados têm mais de dois metros de altura, então, decidiram fazer a mesma medição em um nível mais baixo.

Bagheera, mais conhecida como Baggy, é a labradora de estimação de Tom. Ela ficou responsável por carregar o monitor desenvolvido por Matt preso à coleira, e Tom a levou para passear na cidade.

Com uma altura de mais ou menos 70 cm, Baggy consegue monitorar o nível de poluição do ar muito mais próximo do chão.

Os resultados

Depois de coletar os dados passeando com Baggy por diversos pontos da cidade, Tom devolveu o monitor ao seu pai, que pode analisar os resultados.

Os níveis de poluição do monitor de Baggy foram comparados com dados coletados pela Environment Agency, e aí veio a surpresa: os números mais próximos do solo eram cerca de 70% mais altos que os indicados nos postes.

A altura determinada para a instalação dos monitores é para evitar vandalismos e facilitar a visualização de quem passa pela rua.

E as consequências?

A altura do monitor preso na coleira da labradora é próxima da altura de bebês e crianças, assim como de outros animais. A presença de um ar tão poluído nessa área pode ser responsável por:

  • Maior ocorrência de doenças respiratórias em crianças de até um ano;
  • Sensação de calor aumentada,
  • Poluição de plantas e vegetação.

Tecnologia a favor do planeta

O monitor utilizado por Matt Hunt segue a mesma lógica de monitores convencionais, ele apenas diminuiu o tamanho.

Essa medida simples proporcionou que o aparelho fosse carregado por Baggy, inserindo a medição numa atividade cotidiana, que é passear com seu cachorro.

Essa tecnologia, no futuro, pode ser inserida no dia a dia das pessoas por meio de um aplicativo para smartphones ou nos smart gadgets, como relógios e pulseiras.

Tendo a informação em tempo real da qualidade do ar que respiram, as pessoas podem exigir medidas locais de melhoria do ambiente, como o plantio de mais árvores, ou tomar ações individuais, como utilizar menos carros.

A nova geração

Tom, que tem 13 anos, faz parte de uma geração que já nasce preocupada com o futuro do planeta e faz questão de se posicionar sobre as questões ambientais.

Em entrevista ao Independent, ele defende: “As pessoas precisam reconhecer que somos nós, jovens e crianças, os que mais sofrem com a poluição do ar, e que algo precisa ser feito com urgência”.

Figuras centrais, como a adolescente sueca Greta Thunberg, eleita pela revista Times como personalidade do ano de 2019, têm sido responsáveis por questionar as atuais ações de empresas e governos a respeito da preservação do planeta.

Crianças como Tom fazem questão de estarem seguras no ambiente em que vivem e querem que essa segurança, acima de tudo, seja a garantia de uma vida mais sustentável no planeta.

Instagram