Rio de Janeiro: Disponibilidade de 4G aumenta graças ao lançamento da frequência de 700MHz

A infusão das ondas de transmissão de 700 MHz nas redes 4G das operadoras produziu melhorias visíveis nas pontuações nacionais do  mais recente relatório no Brasil, depois que as operadoras ativaram a nova banda de frequência nas cidades brasileiras. No entanto, foi observado um trade-off entre o aumento do alcance das redes 4G e as velocidades de download de 4G. No Rio de Janeiro, foi possível ver essa tendência em ação: embora o 700 MHz não tenha produzido grandes saltos na velocidade de download 4G, melhorou significativamente o nível de acesso ao 4G, ao penetrar mais nos prédios. Isso, por sua vez, levou a uma experiência móvel aprimorada, já que os usuários conseguiram acessar sinais 4G mais fortes, com mais frequência.
A Opensignal analisou o recente lançamento da faixa de frequências de 700 MHz no Rio de Janeiro e observou que a disponibilidade 4G aumentou. Os dados indicam que usuários de smartphones acessaram redes 4G na faixa de 700 MHz em áreas similares às existentes nas bandas de 2100 MHz e 2600 MHz e, portanto, sugerem que a boa penetração interna da banda de sub-1 GHz, provavelmente, explica o aumento da disponibilidade. Mas devido à capacidade limitada da banda sub-1 GHz, quando os usuários se conectaram na faixa de 700 MHz, eles obtiveram, em média, uma velocidade de download 4G inferior a 20 Mbps em relação à banda de 2600 MHz.
Disponibilidade de 4G no Rio de Janeiro aumento seu alcance desde quando operadoras ativaram a banda de 700MHz em junho de 2018
A disponibilidade do 4G aumentou após as implantações de 700 MHz
A Opensignal observou que a disponibilidade de 4G no Rio de Janeiro aumentou de 69,9% no início de 2018, para 77,7% no final de março de 2019. No entanto, enquanto os ganhos do trimestre foram de cerca de 1% no início de 2018, eles mais que dobraram desde que a Claro, a TIM e a Vivocomeçaram a usar a frequência de 700 MHz em suas redes 4G no Rio de Janeiro, em junho de 2018.
A banda de 700 MHz é particularmente adequada para serviços de banda larga móvel devido a duas características principais: boa propagação de sinal – o que torna atraente aumentar o alcance de redes 4G – e penetração interna – porque experimenta menos perda de sinal nos edifícios. Então, fica a dúvida sobre qual das duas características trazia o maior benefício para nossos usuários de smartphones no Rio de Janeiro.
Usuários acessaram as redes 4G na nova faixa de 700 MHz em áreas semelhantes àquelas em que se conectaram usando bandas de 2100 MHz e 2600 MHz
A Opensignal analisou a experiência dos usuários em diferentes bandas de espectro 4G no Rio de Janeiro. Primeiramente, foi observando o alcance de diferentes bandas de frequência nos locais onde os usuários passavam seu tempo e as medidas foram agrupadas por banda de espectro, conforme os mapas abaixo.
O primeiro mapa mostra os locais no Rio de Janeiro onde os usuários se conectaram a redes 4G na banda recém-implantada de 700 MHz. Essa banda oferece boa propagação de sinal e boa cobertura, mas tem capacidade mais limitada e normalmente suporta velocidades mais baixas.
O segundo mapa mostra os locais onde os usuários de smartphone se conectaram a redes 4G nas bandas pré-existentes de 2100 MHz e 2600 MHz. Essas bandas oferecem maior capacidade, mas possuem menor propagação de sinal.
Rio de Janeiro: medidas na banda de 700MHz
Rio de Janeiro: medidas na banda de 2100MHz e 2600MHz
Mapas produzidos por Stamen Design, junto com a CC BY 3.0. Dados do mapa feitos por OpenStreetMap junto com a ODbL.
Em ambos os mapas, as medições aparecem espalhadas pelas áreas urbanas, indicando que os usuários de smartphone acessaram redes 4G em 700 MHz e bandas de frequência mais altas pré-existentes, nos locais onde passaram a maior parte do tempo. Também é possível identificar que as medições combinadas nas bandas de 2100 MHz e 2600 MHz parecem incluir mais localizações no segundo mapa, em comparação com aquelas conectadas à banda de 700 MHz no primeiro mapa – sugerindo que os usuários de smartphones estavam mais propensos a se conectarem às faixas de frequência mais altas do que a de 700 MHz.
A análise visual da Opensignal das frequências 4G do Rio de Janeiro indica que a faixa de 700 MHz é geralmente implantada em áreas semelhantes às bandas de 2100 MHz e 2600 MHz, sugerindo que o aumento significativo na disponibilidade 4G medidas desde a implantação de 700 MHz foi, provavelmente, relacionado à segunda característica fundamental da banda sub-1 GHz: melhor propagação no interior. Isso sugere que os usuários de smartphones agora estão mais propensos a continuar se conectando a redes 4G quando se deslocam dentro de edifícios graças à melhor penetração interna da faixa de 700 MHz.
Usuários de smartphones experimentaram velocidade de download 4G inferior a 20 Mbps quando conectados em 700 MHz, ao invés de 2600 MHz
A Opensignal analisou as velocidades de download que os usuários tiveram quando se conectaram a redes 4G, em diferentes bandas de espectro, e descobriram que elas variavam muito.
Rio de Janeiro: Velocidade de download de 4G na banda de 2600MHz é 20Mbps mais rápido do que a outra banda de espectro 4G
Os usuários de smartphone no Rio de Janeiro desfrutaram, em média, 33,9 Mbps na velocidade de download de 4G, quando se conectaram a redes 4G, na banda de 2600 MHz. Mas, quando eles não podiam acessar as redes LTE na banda de frequência 4G mais alta, e conectadas nas faixas de 1800 MHz ou 700 MHz, sua velocidade média de download de 4G caiu em mais de 20 Mbps.
Os dados da Opensignal sugerem que os usuários de smartphones na área urbana do Rio de Janeiro se beneficiaram da implementação da banda de 700 MHz em termos de alcance 4G estendido e tempo adicional para acessar redes 4G, devido à melhor penetração interna dos recém sub instalados na banda de 1 GHz. Mas, quando os usuários estão conectados à banda de 700 MHz, eles tiveram, em média, uma velocidade de download 4G inferior de 13,2 Mbps, com a capacidade limitada da banda de espectro e o trade-off necessário entre maior alcance e velocidades mais rápidas.

 

Sobre a  Opensignal

Somos Opensignal, uma empresa de análise móvel. Somos o padrão global independente para entender o verdadeiro estado das redes móveis do mundo com base em medições da experiência real do usuário. Nossos relatórios do setor são o guia definitivo para a verdadeira experiência que os consumidores recebem em redes sem fio, e medimos de forma independente isso em todas as principais operadoras de rede do mundo.