Por que os jovens estão retardando a saída da casa dos pais?

Filhos deixam o lar paterno cada vez mais tarde, aumentando o número da geração canguru

O jovem sonha em ter as suas coisas, como comprar apartamento ou uma casa, deixando a residência dos pais o quanto antes, certo? Em partes. Pelo menos na maioria dos casos, os jovens da geração atual vêm retardando esse processo de deixar a casa paterna.

Se antigamente o comportamento era de buscar uma independência o quanto antes, atualmente, isso vem levando um pouco mais de tempo. Inclusive, podemos observar um grande número de pessoas na faixa dos 30 anos que ainda estão na casa dos seus pais.

Essa atitude inclusive ganhou até um nome, é a famosa “geração canguru”. Saiba mais sobre esse comportamento bem comum nos dias atuais logo abaixo.

Geração canguru

A denominação geração canguru surgiu para identificar o grupo de jovens da faixa de idade entre 25 e 34 anos e que ainda moram com os seus pais.

Segundo dados do IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 60,2% da geração canguru é composta por homens. As mulheres representam um número bem menor, 39,8%.

 Mas então, o que gera toda essa mudança de comportamento? Vamos a alguns aspectos que contribuem para a geração canguru.

Qualificações profissionais

Um dos motivos desse retardamento para deixar a casa paterna pode ser a busca por qualificações profissionais. Buscando se especializar ou até se atualizar no mercado, com cursos profissionalizantes, universidades, o jovem pode preferir pela “facilidade”.

Com a rotina agitada dessa fase, muitos escolhem por ter um local para chegar e encontrar limpo, organizado, sem muito esforço. Dessa forma, podem preferir primeiro encerrar esse ciclo de estudos para depois buscar o seu local.

E claro, isso também interfere no fator financeiro. Em busca dessas qualificações, o jovem possuí gastos muitas vezes com mensalidade, livros e materiais de estudo.

Falta de oportunidades profissionais

A falta de oportunidades profissionais também é um fator que influência muito na geração canguru. Mesmo com as qualificações, não é fácil encontrar um emprego na área. Muito vezes o profissional é obrigado a exercer cargos “inferiores”, com um financeiro menos satisfatório.

Assim, muitas pessoas preferem “aguardar” por uma boa oportunidade na sua área, com um salário recompensador, para aí sim deixar a casa paterna. Nessa situação, é uma forma até mais segura, evitando aquele bate e volta, de sair e voltar para a casa paterna.

Aumento no custo de vida

O aumento do custo de vida está diretamente ligado a geração canguru também. Com o preço das coisas cada vez mais alto, como aluguel, alimentação, entre outras, os jovens preferem “iniciar” na casa paterna, até se estabilizar.

Essa situação se torna ainda mais comum nos grandes centros, nas famosas cidades grandes. Nestas, é comum que o custo de vida seja maior do que em uma cidade do interior, por exemplo.

Independência financeira?

Na questão da independência financeira temos que dividir em dois grupos. Existem os que pela falta dela preferem ficar na casa dos seus pais, até conseguirem caminhar com as próprias pernas.

Porém, também existem os jovens que já tem a sua vida financeira organizada, um bom emprego, mas preferem ficar com a sua família pela comodidade.

No primeiro grupo, se espera que quando consiga a tão sonhada independência financeira, o jovem deixe o lar paterno e siga o seu rumo. Já no segundo, a mudança normalmente só ocorre quando encontra uma pessoa e decide dar um passo a mais no relacionamento, como o casamento.

Mudança no relacionamento

E falando em relacionamento, esse é um ponto chave para o crescimento da geração canguru. Podemos notar que, com o passar dos anos, a população teve uma grande mudança de comportamento.

Antigamente, era natural que uma pessoa se envolvesse com a outra bem cedo, chegando ao casamento rapidamente, em muitos casos até na adolescência.

Já nos dias atuais, os jovens costumam “curtir” um pouco mais a fase de solteiro, assumindo um compromisso um pouco mais tarde.

Outros, que encontram uma pessoa para uma relação séria, preferem prolongar o período de namoro. Dessa forma, os casamentos também sofrem um retardamento no tempo, e isso fica ligado diretamente com a geração canguru.