ONU Meio Ambiente recebe prêmio por trabalho sobre ecossistemas de água doce

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) foi premiado pela Earth Observations for the Sustainable Development Goals (“Observações da Terra para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, na tradução livre) pelos seus esforços em integrar dados de observação terrestre em um canal de monitoramento on-line.

O aplicativo web criado pelo PNUMA com a ajuda de parceiros – como o Centro de Pesquisa Conjunta da Comissão Europeia; Google; NASA; Agência Espacial Europeia; entre outros – permite o monitoramento e a geração de relatórios oficiais sobre o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 6, “Água portável e Saneamento”, especificamente o indicador 6.6: “interromper a degradação e a destruição de ecossistemas relacionados à água e auxiliar a recuperação dos que já estão degradados”.

O trabalho foi um esforço conjunto das Divisões de Ciência e de Ecossistemas do PNUMA e reforça a importância das parcerias e dos usos inteligentes da tecnologia para o alcance dos ODS até 2030.

PNUMA recebe prêmio pelos seus esforços em integrar dados de observação terrestre em um aplicativo web global. Foto: Guillen Perez/CC.

PNUMA recebe prêmio pelos seus esforços em integrar dados de observação terrestre em um aplicativo web global. Foto: Guillen Perez/CC.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) foi premiado por seus “esforços notáveis ​​para integrar dados de observação da Terra em uma metodologia global para permitir o monitoramento e geração de relatórios oficiais do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6.6.1: Alteração na extensão dos ecossistemas relacionados à água ao longo do tempo”.

O prêmio foi concedido pela Earth Observations for the Sustainable Development Goals (“Observações da Terra para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, na tradução livre), uma iniciativa do GEO-Group on Earth Observations (“Grupo para Observações da Terra”, na tradução livre).

O trabalho foi um esforço conjunto das Divisões de Ciência e de Ecossistemas do PNUMA.

“Embora o prêmio tenha sido concedido ao PNUMA, o trabalho no objetivo 6.6.1 não teria sido possível sem vários outros parceiros, principalmente o Centro de Pesquisa Conjunta da Comissão Europeia e o Google; mas também vários outros, incluindo a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (NASA), a Agência Espacial Europeia e o Secretariado do GEO”, afirmou Jillian Campbell, estaticista do PNUMA.

ODS 6 – Água potável e Saneamento

Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6.6 visa interromper a degradação e a destruição de ecossistemas relacionados à água e auxiliar a recuperação dos que já estão degradados.

Nessa meta estão inclusos ecossistemas como pântanos, rios, lagos, reservatórios e águas subterrâneas – bem como aqueles que ocorrem em montanhas e florestas, que desempenham um papel especial no armazenamento de água doce e na manutenção da qualidade da água.

Com base em consultas com os países e nos dados iniciais colhidos em 2017, menos de um quarto dos países coleta, atualmente, dados nacionais que possam ser usados ​​para monitorar a extensão dos ecossistemas de água doce.

Aplicativo PNUMA de monitoramento de ecossistemas de água doce

Mais informações sobre o objetivo 6.6.1 e sua importância em termos de compreensão da dinâmica da água e dos ecossistemas relacionados à água estão disponíveis no aplicativo web global criado pelo Centro de Pesquisa da Comissão Europeia; Google; e PNUMA para monitoramento da água.

O aplicativo web não apenas fornece dados geoespaciais para download (geotiffs) em relação à extensão permanente e sazonal da água, mas também dados das séries de temporais nacionais e subnacionais, de bacia e sub-bacia, que, juntos, formam uma base para relatórios oficiais sobre o Indicador 6.6.1.

O PNUMA, o Google e o Centro de Pesquisa Conjunto da Comissão Europeia, juntamente com vários novos parceiros, estão atualmente reformulando o aplicativo.

Dados e funcionalidades adicionais estarão disponíveis até o final de 2019.

ONU