Fundação faz ações formativas online do V Festival do Choro

Neste ano, em razão da pandemia do coronavírus, a Fundação Cultural Cassiano Ricardo realizará somente as ações formativas do V Festival do Choro Pixinguinha no Vale. A partir da próxima segunda-feira (15), serão cinco workshops virtuais com duração de 10 semanas. Não há necessidade de inscrição prévia, basta acessar o link da sala e entrar na sala online pela plataforma gratuita do Google meet. Cada sala tem capacidade para até 100 pessoas.

Workshops

Os workshops vão oferecer práticas de violão, cavaquinho, pandeiro, bandolim e sopros, permitindo aos alunos uma vivência específica em torno da linguagem do Choro. Através dessas aulas, os alunos conseguirão experimentar e vivenciar o Choro em sua complexidade.

Cada pessoa faz, normalmente, apenas um dos cursos de instrumento. Mas se houver um multi-instrumentista, o interessado poderá acessar quantos ele quiser, desde que saiba tocar, minimamente, cada um dos instrumentos. As aulas são voltadas às pessoas com idade acima de 12 anos.

V Festival do Choro

“O Choro é um gênero musical muito forte na região. No Vale do Paraíba, temos músicos profissionais e amadores que se dedicam ao Chorinho, reunindo muitos músicos populares. E por isso, a importância de se manter o evento ainda que seja com ações formativas online”, disse Raquel Aranha, doutora e mestre em música, pesquisadora do Choro no Vale e curadora do Workshop de Choro Online.

Fundação Cultural Cassiano Ricardo

O conteúdo das aulas será adaptado para os diferentes níveis de alunos, desde aqueles que possuem bagagem básica até os de níveis mais avançados.

Confira a programação

PROFº/INSTRUMENTOSEGUNDATERÇAQUARTAQUINTASEXTA
Everton Campos / SOPRO19h às 21h9h às 11h   
 Bruno Bertolino / PANDEIRO  10h às 12h19h às 21h  
Gabriel Amaral /VIOLÃO 6 e 7 cordas    10h às 12h17h às 19h
Marquinhos Sun/BANDOLIM 19h às 21h 19h às 21h 
Luiz Paulo Muricy/CAVAQUINHO   10h às 12h17h às 19h 
Os workshops vão oferecer práticas de violão, cavaquinho, pandeiro, bandolim e sopros – Foto: Ilustração
Instagram