Cantora Tássia Reis natural de Jacareí é capa da Revista Glamour de setembro

Oi pessoal, tudo bem?

Quero contar para vocês que a cantora Tássia Reis, natural de Jacareí – SP e filha de sambistas da cidade, é capa da versão digital da Revista Glamour desse mês, que foi lançada hoje.

A influenciadora cresceu ouvindo samba e começou a se interessar por rap por influência do irmão, onde descobriu que queria mesmo viver de arte aos 14 anos. Mudou-se para a capital aos 20 e, em 2014, lançou seu primeiro EP.

Tassia Reis-Glamour-Foto: Mylena Saza

Sucesso nas redes sociais e dona da marca de roupas Xiu! (que foi retomada nos últimos meses), ela contou em entrevista sobre como usou a quarentena para cuidar de si e se dedicar aos projetos profissionais. “Na quarentena, tenho me sentido sensível e vulnerável, então a prioridade é ficar bem, cuidando da saúde física e mental, aí dá para pensar em fazer as coisas.” Por “coisas”, entenda-se trabalho e tudo o que envolve ser uma artista independente no Brasil, chefe de si mesma, quem pensa as letras e melodias, as gravações, as parcerias, os clipes, a agenda, quem contrata colaboradores, etc.

Cantora Tássia Reis

Tassia Reis-Glamour-Foto: Mylena Saza

“Eu sou a gata workaholic que se sobrecarrega. Na terapia, entendi que não preciso dar conta de tudo. Na quarentena, com tempo livre e estoque de sobra, refiz o site e comecei a bombar a divulgação nas redes. Rolou super!”

Além de retomar marca durante o isolamento, Tássia começou a rascunhar dois livros e lançou o clipe da música “Me Diga”, que traz imagens como cenas de backstage, viagens, palco, momentos de descontração com a banda e com amigas, como a cantora Liniker. “A música fala de um lugar de resgate, de se reencontrar consigo e acho que as memórias ajudam nisso”, reflete Tássia. “Falar de afeto também é militar. É um lugar que às vezes não é colocado para as pessoas pretas, essa desumanização, como se só pudéssemos cantar pela luta. Não, eu canto a minha vida. Eu luto pela minha humanidade, pelo direito de existir e falar do que meu coração mandar. Pela subjetividade, o direito de amar, de ser amada, de parar um minuto e reconhecer tudo o que fiz até aqui.”

Revista Glamour

Tassia Reis-Glamour-Foto: Mylena Saza
Instagram