Aeroporto de São José dos Campos encerra 2019 com alta de 70,2% no fluxo de passageiros

O Aeroporto Internacional de São José dos Campos/Professor Urbano Ernesto Stumpf (SP) encerrou 2019 com movimentação de 65.152 passageiros. O número representa crescimento de 70,2% na comparação com 2018, quando foram contabilizados 38.275 embarques e desembarques. Os meses de maior fluxo foram janeiro e julho, com 35.421 e 31.628 viajantes, respectivamente.

A movimentação de aeronaves também cresceu no período. Foram 861 pousos e decolagens, o que representa um aumento de 11,2% ante as 774 operações registradas no ano anterior.

O superintendente do terminal, Carlos Haroldo Novak, atribui o crescimento da movimentação a um somatório de fatores, que vai desde a recuperação gradual da economia, ao trabalho conjunto de todo o trade turístico. “Um posto fixo da Polícia Federal para emissão de passaporte, o único da região do Vale do Paraíba, também tem contribuído para a divulgação dos voos no terminal. O incremento ainda está relacionado à uma maior ocupação de assentos nos voos da Azul, que apresentou, em 2019, cerca de 85%. Estes números demonstram a força que a região detém”, pontuou Haroldo.

De acordo com o superintendente, é possível aumentar ainda mais a movimentação, já que o aeroporto tem capacidade para atender 3,2 milhão de passageiros por ano.

Rede Infraero

Entre 2018 e 2019, o fluxo de passageiros permaneceu estável nos 54 aeroportos que compunham a rede Infraero até dezembro. Ao todo, passaram pelos terminais da empresa 83,9 milhões de viajantes, ante os 84,1 milhões de 2018, o que representa uma queda de 0,2%.

De acordo com o presidente da Infraero, Brigadeiro Paes de Barros, a estabilidade no número de passageiros que passaram pelos aeroportos da empresa demonstra a resiliência da economia brasileira e a importância da consolidação de políticas públicas para o setor.

“No ano passado, problemas, como a falência de uma importante companhia aérea brasileira, impactaram na oferta de voos. Por outro lado, uma série de medidas, como a abertura de 100% capital estrangeiro para aéreas, redução do ICMS do querosene de aviação, e até melhorias na infraestrutura dos aeroportos, diminuíram tais reflexos”, avaliou Paes de Barros.

Aeroporto Internacional de São José dos Campos/Professor Urbano Ernesto Stumpf (SP)

Para os próximos anos, a expectativa é de que o mercado brasileiro de aviação siga a tendência e cresça duas vezes o valor do PIB, disse o presidente da Infraero. Segundo ele, o cenário aponta para mais de 200 milhões de passageiros em 2025, ante os 120 milhões, atualmente. “Por isso, ao mesmo tempo que trabalha para cumprir as determinações do Governo Federal, de conceder todos os aeroportos da Rede Infraero à iniciativa privada, a empresa estará focada no desenvolvimento da infraestrutura aeroportuária regional, que representa um grande gargalo na interiorização do modal aéreo no Brasil”, afirmou.

Capacidade

Atualmente o aeroporto recebe operações de voos regulares da Azul, que liga São José dos Campos ao aeroporto do Galeão (RJ).

Localizado a apenas oito quilômetros do centro da cidade e a cerca de 90 km do centro da capital paulista, o aeroporto tem participação importante no crescimento da região, o terminal conta com duas vocações: a cargueira, que atende ao grande número de indústrias do Vale do Paraíba, Litoral Norte e do Cone Leste Paulista; e a turística, em especial pela proximidade com o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, as cidades da Serra da Mantiqueira – como Campos do Jordão -, e com os municípios do litoral norte do estado, como Ilhabela, São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba, além de Parati e Angra dos Reis, no litoral sul fluminense.