Ação “Gasolina a preço justo” protestou contra política de preços da Petrobrás

Foram distribuídos mil litros de gasolina para motoristas e entregadores de aplicativos

Centenas de motoristas e entregadores de aplicativos aderiram à ação “Gasolina a preço justo”, realizada pelo Sindipetro-SJC, na manhã desta terça-feira (02), em protesto contra a alta dos combustíveis e a privatização da Petrobrás. Foram distribuídos mil litros de combustível a 150 trabalhadores.

A ação denunciou a atual política do governo para os preços da empresa, o chamado PPI (Preço de Paridade de Importação), que torna mais caro os combustíveis e o gás de cozinha, e mostrou que sem ela a gasolina poderia custar R$ 3,60. Os cálculos foram feitos pelo Ibeps (Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais), com base nos custos nacionais de produção de Petrobrás, acrescido a impostos, custos da adição de etanol, lucros da estatal, bem como das distribuidoras e revendedoras. 

Foto: Roosevelt Cassio/Divulgação

Durante a ação, os petroleiros distribuíram panfletos e explicaram aos trabalhadores sobre os motivos de os combustíveis estarem tão caros.  Confira aqui a íntegra do material. “Infelizmente estamos pagando valor de dólar no combustível e isso é um absurdo. Afinal, é a gente que fabrica o combustível. O combustível é nosso! Não faz sentido pagar o mesmo preço do mercado internacional”, disse a motorista de Uber Tainara Castro.

O motorista Renato Genari Isique elogiou a iniciativa do Sindicato. “Achei excelente a ação para denunciar esses preços abusivos que a Petrobrás está praticando. A função da Petrobrás é estratégica para garantir a soberania nacional. E ficou muito claro no material distribuído pelo Sindicato que o combustível não precisava estar nesse preço absurdo”, disse.

Segundo o entregador Antonio Anderson Maia, os altos preços dos combustíveis têm impactado tanto a sua renda que, em alguns dias, para conseguir abastecer, ele fica sem comer. “Tá muito difícil.”, disse.

Sindipetro-SJC

Para o presidente do Sindipetro-SJC, Rafael Prado, a ação cumpriu o seu papel. “O objetivo era chamar a atenção dos motoristas e da população para o absurdo dessa política de precificação dos combustíveis. Mostrar que o Preço de Paridade de Importação não cabe na realidade do nosso país. Petrobras 100% estatal e combustíveis a preço justo para todos. Essas são as principais bandeiras dos petroleiros de todo o país”, disse.

“Gasolina a preço justo”

Ação gasolina a preço justo – Foto: Roosevelt Cassio /Divulgação
Instagram