14ª Mostra Mundo Árabe de Cinema começa dia 7 de agosto, no CineSesc, em São Paulo

INSTITUTO DA CULTURA ÁRABE – ICARABE

14ª Mostra Mundo Árabe de Cinema: de 7 a 14 de agosto, programação de filmes no Cinesesc apresenta a diversidade das produções e temas dos países árabes e  uma nova geração de cineastas, com destaque para mulheres diretoras

São 12 filmes, entre eles, quatro inéditos e sete dirigidos por mulheres, destacando uma nova geração de cineastas árabes e temas relacionados aos desafios do Mundo Árabe, como a crise de refugiados. A abertura será realizada no dia 7, a partir das 20h30, no CineSesc, com exibição do filme “Afortunados” e presença da diretora Sofia Djama. Joy Ernanny, diretora de “Além do Véu”, também é convidada especial da Mostra.

De 7 a 14 de agosto, o Instituto da Cultura Árabe – ICArabe e o Sesc-SP – Serviço Social do Comércio promoverão no Cinesesc a 14ª Mostra Mundo Árabe de Cinema, com copatrocínio da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e em parceria com a Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – Fambras, o Instituto do Sono e a Aliança Francesa. A abertura para o público será realizada no dia 7 de agosto, a partir das 20h30, no CineSesc, com exibição do filme “Afortunados” e presença da diretora argelina Sofia Djama, que participará ainda de debate no dia 8. Joy Ernanny, diretora de “Além do Véu”, integrará encontros com o público nos dias 9 e 11 (veja programação e sinopses abaixo). A 14ª Mostra Mundo Árabe de Cinema terá continuidade, de 16 a 28 de outubro, com programação especial e exibição de 20 filmes no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-SP). A programação no CCBB-SP será informada em breve.

No Cinesesc, esta edição traz 12 filmes – quatro deles inéditos e sete dirigidos por mulheres, que retratam a realidade política, social e cultural de países árabes, tendo como fio condutor “os desafios do Mundo Árabe em meio à crise de refugiados, ao terrorismo, ao pós-colonialismo, ao clamor por mais liberdade de expressão, mas também o retorno às origens, a memória e a análise do passado frente a um novo cenário que se revela”, como ressalta o curador da Mostra e diretor cultural do ICArabe, Arthur Jafet.

As produções estão divididas em três sessões temáticas: “A Memória e seus encontros”, “A Chama da Insurreição” e “Do limite ao deslocamento”. Entre os destaques desta edição, além de “Afortunados”, estão “Caçando Fantasmas”, “Corpo Estrangeiro”, “Sobre Pais e Filhos” e “Relatórios de Sarah e Saleem”.

Em meio à turbulência social e política de sua esfera, o Mundo Árabe vem apresentando um número crescente de cineastas talentosos, que busca se recompor com maior criatividade e através de técnicas sofisticadas de filmagem, para expor ao público as questões que afligem a sua geração. Em virtude disso, observa-se uma presença cada vez maior da cinematografia árabe em festivais de grande envergadura, como Cannes, Veneza, Berlim, Locarno, Toronto e Sundance, além do Oscar e do César. Uma nova geração de cineastas talentosos está surgindo e se afirmando, trazendo as questões das sociedades árabes atuais para o primeiro plano.

São tais expoentes que a Mostra Mundo Árabe de Cinema escolheu apresentar por meio de prévias, debates em filmes e ciclos temáticos. Através de convênios com diversas instituições, como a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, a Fambras e o Instituto do Sono, o ICArabe apresentar a variedade de estilos e temas, destacando não apenas a política e o cotidiano, bem como a beleza, a arte e o senso de humor, que com tamanha intensidade são registros marcantes das sociedades do Mundo Árabe.

Contribuindo para a história do cinema árabe no Brasil

A Mostra Mundo Árabe de Cinema surgiu em 2005, logo após a criação do Instituto da Cultura Árabe, em 2004, como uma entidade laica e sem fins lucrativos.

O objetivo da Mostra Mundo Árabe de Cinema sempre foi (e continua sendo) o de apresentar ao público brasileiro a cinematografia dos países árabe e de temática árabe, contribuindo para desfazer os estereótipos e retratando a realidade dos países árabes.

Para acompanhar as novidades da Mostra, acesse:

Página do Facebook: https://www.facebook.com/Mostra-Mundo-%C3%81rabe-de-Cinema-329005973932264/?fref=ts

www.icarabe.org

Site da Mostra: mundoarabe2019.icarabe.org

SINOPSE DOS FILMES

SESSÃO A MEMÓRIA E SEUS ENCONTROS

Os filmes, eminentemente políticos com uma paleta de destinos individuais, integram o retrato da cidade através de sua estonteante variedade arquitetônica. No seu íntimo, encontram-se cenas de sentimentalismo, pureza juvenil e melancolia por um tempo que ficou para trás. Trava-se o encontro de gerações para tratar das questões da atualidade, reflexos de um passado em sua maior parte idealizado. O aspecto lânguido das conversas animadas à mesa, no virar das páginas de um álbum de fotografias, a emoção do citadino ao som da música instrumental que o remete à sua infância, impede a insensibilidade de qualquer telespectador. Eis um retrato forte e humano, bruto e belo. A mesma família que se reúne e comemora, também vivencia o cotidiano de uma nação instável, volátil, por vezes exausta, vítima das “guerras por procuração” para sair em busca de condições mais propícias ao exercício da vida em continente europeu, e depois, à casa retorna, emulando o filho pródigo, em novo cenário que se descortina.

Os Afortunados

Argélia, França, Bélgica, Catar/2017/102 min/ 14 anos

Gênero: Drama

Diretora: Sofia Djama

Elenco: Nadja Kaci, Amine LANSARI, Lyna KHOUDRI, Adam BESSA, Faouzi BENSAÏDI

Idioma: Árabe, com legendas em português.

Trailer: https://youtu.be/3uuxj_JLQZo

Sinopse

Argel, alguns anos depois da guerra civil. Amal e Samir decidiram celebrar seu vigésimo aniversário de casamento em um restaurante. Enquanto estão a caminho, compartilham seus pontos de vista sobre a Argélia: Amal conta sobre ilusões perdidas e Samir sobre a necessidade de lidar com elas. Ao mesmo tempo, seu filho Fahim e seus amigos Feriel e Reda estão vagando em uma hostil Argel prestes a roubar sua juventude.  Vencedor de 3 prêmios no Festival de Cinema de Veneza 2017: prêmio de melhor atriz categoria Orizzonte do Festival de Veneza; o Brian Award, pela campanha em prol da democracia, dos direitos humanos, do pluralismo e da liberdade de pensar, e o prêmio Lina Mangiacapri por invocar mudanças à imagem da mulher no cinema.

Sobre a diretora:

Nascida em Oran, Sofia Djama mudou-se para Argel para completar a licenciatura em Literatura. No início dos anos 2000, começou a escrever uma coletânea de contos nos quais Argel era a principal protagonista. “Mollement un samedi matin” (Languidamente um sábado de manhã), uma adaptação de um deles, foi seu primeiro curta-metragem. Foi amplamente aclamado e recebeu 2 prêmios em Clermont-Ferrand. Isso a encorajou a perseguir sua ambição no cinema. A partir de então, dedicou-se a escrever seu primeiro longa-metragem, “Les Bienheureux” (Afortunados).

A Memória da Guerra Civil no Líbano INÉDITO

Líbano/2018/76min/ 14 anos

Gênero: documentário

Diretor: Ghassan Halwani

Idioma: Árabe e inglês com legendas em português.

Trailer: https://youtu.be/F2vfMQR-mQY

Sinopse

Trinta e cinco anos atrás, eu testemunhei o sequestro de um homem que conheço. Ele desapareceu desde então. Dez anos atrás, tive um vislumbre de seu rosto enquanto andava na rua, mas não tinha certeza se era ele. Partes de seu rosto foram arrancadas, mas suas feições permaneceram inalteradas desde o incidente. No entanto, algo era diferente, como se ele não fosse o mesmo homem. Filme obteve a “Menção Especial” no Festival Internacional de Cinema de Locarno 2018.

Sobre o diretor:

Ghassan Halwani vive e trabalha em Beirute. Após o curta-metragem de animação Jibraltar (2005), esteve envolvido principalmente em colaborações com cineastas libaneses e árabes, dramaturgos, artistas contemporâneos, editores e músicos. “A Memória da Guerra Civil no Líbano” (Erased, Ascent of the Invisible, título original) é seu segundo filme e primeiro longa.

Uma Substância Mágica Flui em Mim

Alemanha, Palestina, Reino Unido, Suécia /2015/ 70 min

Gênero: Documentário

Diretora: Jumana Manna

Idioma: Árabe, com legendas em português.

Trailer: https://cineuropa.org/en/video/rdID/304965/f/t/

Sinopse

Com uma mistura de ficção e documentário, Jumana Manna explora diferentes tradições musicais das comunidades que vivem dentro e ao redor de Jerusalém, a partir da figura do especialista judeu alemão Robert Lachman e seu trabalho na Palestina.

Sobre a diretora:

Jumana Manna nasceu nos Estados Unidos em 1987, é de origem palestina e vive em Berlim. É formada pela CalArts,  Academia Nacional de Artes em Oslo e Academia Bezalel de Arte e Design, em Jerusalém. Suas obras já foram exibidas no Tate Modern, em Londres, Sculpture Center em Nova York e Kunstlerhaus Bethanien, em Berlim.

Trailer: https://vimeo.com/187653747

SESSÃO A CHAMA DA INSURREIÇÃO

Os cineastas da região estão em uma posição única para combater os preconceitos promovidos pela grande mídia. Eles persistiram em seu desejo de contar suas histórias, não obstante os obstáculos para tanto. Sua criatividade atesta sua imaginação, coragem e resiliência, e a forma como eles respondem com criatividade à crise é uma fonte de inspiração para todos. Através de seus filmes, eles podem conectar os espectadores com as experiências cotidianas de pessoas que enfrentam eventos turbulentos ou lidam com legados de guerras passadas. Eles fornecem perspectivas sutis e pessoais sobre o mundo árabe que as reportagens convencionais e os dramas de Hollywood não conseguem reportar com acuidade.

Além do Véu

Estados Unidos/2018/18min/ 14 anos

Gênero: Documentário

Diretora: Joy Ernanny

Idioma: Inglês com legendas em português

Trailer: https://vimeo.com/269738060?ref=em-share

Sinopse:

Em um momento de crescente islamofobia nos Estados Unidos, as muçulmanas de Nova York encontram refúgio em um novo salão de beleza. Sob o comando de uma empreendedora muçulmano-americana determinada, Le’Jemalik é o primeiro salão exclusivo para mulheres: um lugar onde é possível remover o véu e desfrutar de serviços de beleza halal.

Sobre a diretora:

Jornalista inquieta e documentarista apaixonada, Joy Ernanny produz documentários e programas de TV premiados sobre imigração, direitos humanos e desenvolvimento social. Tendo passado a última década entre Nova York e seu nativo Rio de Janeiro, ela acredita no poder das histórias que ressoam transnacionalmente e transcendem as fronteiras territoriais.

Caçando Fantasmas INÉDITO

França, Palestina, Suíça, Catar/2017/94 min/ 14 anos

Gênero: Documentário

Diretor: Raed Andoni

Elenco: Ramzi Maqdisi, Mohammed ‘Abu Atta’ Khattab, Raed Andoni, Atef Al-Akhras

Idioma: Árabe, com legendas em português.

Trailer: https://youtu.be/G1ISOJKX3uw

Sinopse

Para confrontar os fantasmas que o assombram, o diretor palestino Raed Andoni reúne um eclético grupo de ex-prisioneiros para construir uma réplica do Al-Moskobiya, o principal centro de interrogatório de Israel, onde ele próprio foi preso aos 18 anos. Eles dão forma ao centro de interrogatório que todos experimentaram e reencenam suas histórias. Conforme as paredes das células se elevam, as línguas e as emoções se soltam. Melhor documentário na Berlinale 2017 e indicado a Melhor Filme Estrangeiro no 91º Oscar.

Sobre o Diretor

Raed Andoni é diretor e produtor palestino. Nasceu em 1967 em Amã (Jordânia). Andoni começou sua carreira na indústria cinematográfica em 1997 como produtor independente. Cofundou duas casas de produção: a DAR FILMS, na Palestina, e a LES FILMS DE ZAYNA, em Paris.

Panoptic INÉDITO

Líbano/2017/69min/ 14 anos

Gênero: documentário

Diretora: Rana Eid

Idioma: Árabe e inglês com legendas em português.

Trailer: https://youtu.be/0DLmWApDsAY

Sinopse

Panoptic é uma carta de uma filha para seu falecido pai em uma tentativa de se conciliar com o passado turbulento de seu país. Investiga o submundo de Beirute para explorar a esquizofrenia do Líbano: uma nação que prospera pela modernidade, enquanto ironicamente ignora os vícios que obstruem a conquista dessa modernidade. Filme integra a Seleção Oficial do Festival Internacional de Cinema de Locarno 2017

Sobre a diretora:

Nascida em Beirute, Rana Eid trabalha como editora de som desde 2003, com reputação de ser uma das mais aclamadas da indústria cinematográfica libanesa. Já trabalhou com alguns dos diretores e produtores árabes mais aclamados, como Ghassan Salhab, Vatche Boulghourjian e Khalil Joreige, Joana Hadjithomas, Ali Essafi, Philippe Aractangi e Joud Said, entre outros. Este é seu primeiro filme como realizadora.

Sobre Ovelhas e Homens

Argélia, Suíça, França, Catar/2017/78 min/14 anos

Gênero: Documentário

Diretor: Karim Sayad

Elenco: Samir Meflah & Habib Halfaya

Idioma: Árabe, com legendas em português.

Trailer: https://youtu.be/CJzxqUkfeVA

Sinopse

Habib, de dezesseis anos, sonha em se tornar um veterinário. Incapaz de estudar para sua esperada profissão, ele comprou uma ovelha chamada El Bouq. Sua esperança? Treinar o animal para se tornar um campeão de luta.

Enquanto isso, Samir, de 42 anos, não tem mais sonhos, a não ser ganhar dinheiro suficiente vendendo ovelhas para sobreviver às dificuldades da vida cotidiana.

Sobre o diretor:

Karim Sayad nasceu em Lausanne em 1984 com pai argelino e mãe suíça. Seu primeiro curta-metragem, “Babor Casanova”, foi exibido no World Premiere em Locarno em 2016 e, desde então, já foi exibido em mais de vinte festivais e premiado em festivais de prestígio como o DocLisboa, Festival Dei Popoli e o Festival Internacional de Curtas-Metragens de Clermont-Ferrand. “Sheep and Men” é seu primeiro documentário.

SESSÃO DO LIMITE AO DESLOCAMENTO


Um Panorama das complexas realidades árabes é revelado na Mostra Mundo Árabe, que pela décima-quarta vez a cidade de São Paulo sedia. Mas, além das realidades documentais, os filmes árabes da atualidade contemplam complexas estruturas dramáticas e narrativas. Nesta seção da mostra, com foco nas questões do deslocamento e busca de identidade, os filmes mostram desafios e inquietações de personagens marcantes, cruzando fronteiras em áreas de conflito, ou arriscando-se em continentais travessias oceânicas, em meio aos perigos de falsas acusações e injustiças de todo tipo.

Além das distopias, choques culturais e busca de dignidade, tomamos contato nestas obras com a força e a magia da arte do Cinema, que traz luz e esperança para as angústias existenciais de um mundo interconectado, e ao mesmo separado, na palma da mão, pelos sinais digitais e pelos sonhos de emoções reais, e redenção.

Benzina INÉDITO

Tunísia/2017/ 90 min

Gênero: Drama

Diretora: Sarra Abidi,

Elenco: Ali Yahyaoui, Sondos Belhassen, Jamel Chandoul, Fatma Ben Saidane, , Idioma: Árabe, com legendas em português.

Trailer: https://vimeo.com/240051914

Sinopse

Salem e Halima não têm notícias de seu filho que saiu ilegalmente para a Itália. Eles vivem em agonia. O filme é ambientado no sudeste da Tunísia, Ahmed vende óleo diesel contrabandeado na estrada para a Líbia. Histórias conflitantes circulam sobre o destino de seu único filho. Ao longo de sua história, seguimos os itinerários da juventude precária, os pais lutando em silêncio pela família e o destino da região extremamente marginalizada. O filho deles é encontrado? Ele está vivo ou morto?Vencedor do Júri Especial do Festival de Dubai 2017.

Sobre a diretora:

Sarra Abidi, mestre em Cinema pela INSAS em Bruxelas. Dirigiu dois curtas-metragens -“Rendez-vous” e “Le dernier Wagon” – e o documentário “111 , rue de la Poste”. “BenzinA” é seu primeiro longa-metragem.

Corpo Estrangeiro

França, Tunísia/2016/92min/ 14 anos

Gênero: Drama

Diretora: Raja Amari

Elenco: Hiam Abbass, Sarra Hannachi, Salim Kechiouche

Idioma: Francês e Árabe, com legendas em português.

Trailer: https://youtu.be/pGLPtcw32Cs

Sinopse

Procurando refúgio do irmão, um muçulmano radical, Samia vai para a casa de seu amigo Imed, mas busca sua independência e liberdade, o que acaba encontrando com a Sra. Bertaud, uma viúva rica para quem vai trabalhar. A relação delas logo se transforma em uma ligação sexual que incomoda Imed, dividido entre suas crenças religiosas e desejos sexuais. Integrou a Seleção Oficial do Festival Internacional de Cinema de Toronto – TIFF 2016 e da seção Forum da Berlinale 2017.

Sobre a diretora:

Raja Amari nasceu na Tunísia.  Seu primeiro longa-metragem, “RedSatin” (2002), que estreou no Festival Internacional de Cinema de Berlim, recebeu inúmeros prêmios e foi aclamado pelo público e pela imprensa. “Corpo Estrangeiro” é seu quarto longa-mtragem e teve sua estreia no Festival de Toronto em 2016.

Meu tecido Preferido

França, Alemanha, Turquia/2018/95 min/14 anos

Gênero: Drama

Diretora: Gaya Jiji

Elenco: Manal Issa, Ula Tabari, Souraya Baghdadi

Idioma: Árabe, com legendas em português.

Trailer: https://youtu.be/kY9LExKqOpk

Sinopse

Damasco, primavera de 2011. São os primeiros estágios da revolução. Nahla, 25 anos, está dividida entre seu desejo de liberdade e a esperança de deixar o país graças a um casamento arranjado com Samir, um expatriado sírio nos EUA. Quando ele escolhe sua irmã mais nova, mais dócil, Nahla encontra refúgio na vizinha, a misteriosa Sra. Jiji. Integrou a Seleção Oficial de Un certain regard, Festival de Cannes, 2018.

Sobre a diretora:

Gaya Jiji é uma cineasta síria radicada em Paris desde 2012. Fez vários curtas-metragens, incluindo “Matin, Midi, Soir … et Matin” (2011), ganhador de vários prêmios. Durante o Festival de Cannes de 2016, recebeu o jovem Prêmio Talent Women. “Meu tecido Preferido” é seu primeiro longa-metragem. 

Relatórios de Sarah e Saleem

Palestina, Holanda, Alemanha/México/2018/127 min/ 14 anos

Gênero: Drama

Diretor: Muayad Alayan

Elenco: Adeeb Safadi, Sivane Kretchner, Ishai Golan, Maisa Abd Elhadi

Idioma: Árabe, hebraico e inglês com legendas em português.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=r913j8rbkT8

Sinopse

Sarah é israelense e administra um café em Jerusalém Ocidental. Saleem é palestino de Jerusalém Oriental e trabalha como entregador. Apesar de serem mundos separados, Sarah e Saleem arriscam tudo quando embarcam em um caso ilícito que pode destruir suas famílias. Na pressão sócio-política, Sarah e Saleem encontram-se presos numa teia de falsidade e nem mesmo a verdade parece capaz de resolver.

Sobre o diretor:

Muayad Alayan é um cineasta, produtor e diretor de fotografia palestino baseado em Jerusalém. Alayan cofundou a PalCine Productions, uma produtora de filmes envolvendo um coletivo de cineastas e artistas audiovisuais em Jerusalém e Belém, para facilitar a produção colaborativa de filmes e mídia, bem como para fornecer serviços de produção na Palestina.

Sobre Pais e Filhos

Alemanha, Síria, Líbano/2017/99 min/ 14 anos

Gênero: Documentário

Diretor: Talal Derki

Elenco: Abu Osama, Ayman Osama. Osama Osama

Idioma: Árabe, com legendas em português.

Trailers: https://youtu.be/Zd0bRdYb8AI

Sinopse

Talal Derki retorna para sua terra natal, onde ele ganha a confiança de uma família radical islâmica, compartilhando sua vida diária por mais de dois anos. Sua câmera foca em Osama e seu irmão mais novo Ayman, fornecendo uma visão extremamente rara sobre o que significa crescer em um califado islâmico.  Indicado ao Oscar de melhor documentário de longa-metragem 2019.

Sobre o diretor:

Talal Derki nasceu em Damasco e vive em Berlim desde 2014. Estudou Direção de Cinema em Atenas, trabalhou como assistente de direção em diversas produções de longas-metragens e foi diretor de diferentes programas de TV árabes entre 2009 e 2011. Além disso, trabalhou como freelancer cinegrafista da CNN e da Thomson & Reuters. Seus curtas-metragens e documentários de longa-metragem receberam muitos prêmios em vários festivais. O documentário de longa-metragem “Return to Homs” ganhou o Grande Prêmio de Cinema do Festival de Sundance em 2014. No mesmo ano foi membro do júri internacional do IDFA.

GRADE DE EXIBIÇÃO

7 de agosto, quarta-feira

20h30 – Abertura e exibição de “Os Afortunados”, com presença da diretora Sofia Djama

8 de agosto, quinta-feira

15h – “Panoptic”

17h – “Sobre Ovelhas e omensHoHomenwsHHomens”

19h30 – “Os Afortunados” e debate (21h30), com presença da diretora Sofia Djama e mediação da jornalista Flávia Guerra

9 de agosto, sexta-feira

15h – “A Memória da Guerra Civil no Líbano”

17h – “Panoptic”

19h – “Além do Véu” (presença da diretora Joy Ernanny apresentando o filme) e Corpo Estrangeiro

21h – “Relatórios de Sarah e Saleem”

10 de agosto, sábado

15h – “Sobre Ovelhas e Homens”

17h – “Meu Tecido Preferido”

19h – “Caçando Fantasmas”

21h – “Relatórios de Sarah e Saleem”

11 de agosto, domingo

15h – “Além do Véu” (presença da diretora de Joy Ernanny apresentando o filme) e “Caçando Fantasmas”

17 – “Sobre Ovelhas e Homens”

19h – “Sobre Pais e Filhos”’

21h – “Meu Tecido Preferido”

12 de agosto, segunda-feira

15h – “Sobre Ovelhas e Homens”

17h – “Benzina”

19 – “A Memória da Guerra Civil no Líbano”

21h – “Corpo Estrangeiro”

13 de agosto, terça-feira

15h – “Sobre Pais e Filhos”

17h – “A Substância Mágica que Flui em Mim”

19h – “Benzina”

21h – “Panoptic”

14 de agosto, quarta-feira

15h – “Meu Tecido Preferido”

17h – “A Substância Mágica que Flui em Mim”

19h – “A Memória da Guerra Civil no Líbano”

21h – “Caçando Fantasmas”

Sessão em parceria com a Aliança Francesa

Pelo segundo ano consecutivo, a Aliança Francesa promove e apoia as atividades da Mostra Mundo Árabe de Cinema. Em 2018, um ciclo inteiro do projeto Cinéclub foi dedicado a produções franco-árabes e, neste ano, realizaremos a 5ª edição do Cine Conversa, exibindo o longa ‘Lola Pater’ seguido de um debate com o público, conduzido pela Brunna Valin, militante e ativista do movimento LGBTQIA+.

CINECONVERSA
Aliança Francesa (Teatro), 28/08, às 19h30 
Exibição do filme “Lola Pater”, de Nadir Moknèche, seguido de debate com Brunna Valin – militante e ativista do movimento LGBTQIA+.
Rua General Jardim, 182 – São Paulo

Entrada franca 

14ª Mostra Mundo Árabe de Cinema de 2017

De 7 a 14 de agosto de 2019

Local: CineSesc – Rua Augusta, 2075, Cerqueira César São Paulo | CEP: 01413-000 | telefone: (11) 3087-0500 – email@cinesesc.sescsp.org.br

Ingressos

Segunda a domingo R$ 12 (inteira); R$ 6 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo, com credencial plena do Sesc e seus dependentes); R$ 3,50 (Aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante).

Formas de pagamento: dinheiro, cartões de crédito e débito.
Acessibilidade para cadeirantes e obesos.
Capacidade: 244 lugares