Vernissage do artista plástico Geraldo Lacerdine agita a noite cultural de Pará de Minas (MG)

O retorno às origens do artista plástico Geraldo Lacerdine foi marcado em grande estilo na noite da última terça-feira, 6, na Casa da Cultura de Pará de Minas (MG), que sedia a sua exposição SAGRADO PRIMITIVO: O intermédio de dois mundos. A vernissage contou com uma programação que entreteve os convidados do início ao fim. Entre as autoridades, estiveram presentes a primeira-damaDiva Diniz, e o secretário de Cultura e Comunicação Institucional, Paulo Duarte. Ambos fizeram um discurso de abertura enaltecendo a dimensão da arte em Pará de Minas e a importância dos artistas, como Lacerdine, voltarem à cidade para apresentarem seus trabalhos para a população.

As pinturas de Lacerdine costumam emocionar o público por retratarem temas ligados a Arte Sacra Inclusiva, por meio de imagens pouco convencionais que destacam a diversidade, o racismo, a inclusão social, com beleza e profundidade. “Foi bacana e intensa a abertura da exposição e gratificante demais receber a admiração de todos para com meus quadros”, afirma o artista. “As pessoas ficaram impressionadas, muito interessadas com as obras e com a dimensão da defesa dos direitos humanos e da defesa social que os quadros apresentam e perguntaram muito”, conta.

 

Apesar de ter saído há 20 anos da cidade e viajado o mundo, o artista tem uma ligação forte com suas raízes. Lacerdine fez questão de convidar o violeiro caipira, Ilton Mourão, para fazer algumas modas de viola, bem comum na região, e inclusive se apresentou com ele no palco do teatro da Casa. Paralelamente, lançou na cidade o livro da exposição Sagrado Primitivo, de autoria do escritor mineiro André Araújo. No final os cerca de 100 convidados participaram de uma visita guiada, na qual o próprio artista pode explanar a história dos 27 quadros da mostra. Os quadros são de acrílica sobre tela, com aplicação de folha de ouro e retratados com as cores da diversidade, onde são destacadas figuras femininas e negras, proteção a flora e fauna, igualdade, minorias sociais, entre outros.

Ação com as escolas – Antes da vernissage, Lacerdine recebeu aproximadamente 150 crianças das redes municipal e estadual, além de alunos da Escola Municipal de Artes da cidade, na Casa da Cultura. Os alunos puderam vivenciar o mundo das artes plásticas e as histórias retratadas em cada obra da exposição. “Fiquei muito impressionado de como as crianças estão mais conectadas nas dimensões do respeito, da luta contra o racismo, contra as diferenças sociais e em todos esses princípios e virtudes do que os adultos”, ressalta o artista.

A mostra tem o apoio da Prefeitura de Pará de Minas e da Secretaria Municipal de Cultura e Comunicação Institucional e estará até 28 de novembro na Casa da Cultura de Pará de Minas. De segunda à sexta-feira, das 7 às 17 horas, com entrada franca.

(Segue link goo.gl/nhKN3B com fotos em alta resolução das obras da exposição Sagrado Primitivo /Crédito: Arte Lacerdine).

Sobre o autor – Geraldo Lacerdine Américo é artista plástico, reconhecido no ambiente cultural nacional e internacional, com produções e exposições de arte no Brasil, na Itália, na Polônia e nos Estados Unidos. Tem formação em Filosofia, com ênfase em arte; Teologia; além de um mestrado em Gestão Comunicacional. Também realizou outros estudos em iconografia russa, arte contemporânea, teatro e psicanálise. Nascido em 1977 em Pará de Minas (MG), deixou a cidade há 20 anos e viajou pelo mundo e, desde então, entende que a arte tem uma força transformadora. Seu trabalho sempre esteve relacionado a questões de caráter e relevância social, no embate contra a exclusão, o preconceito, a discriminação, a exploração cultural e intelectual. Mais informações no site:www.lacerdine.com/sagradoprimitivo, Facebook: @artelacerdine e Instagram: @lacerdine


Exposição SAGRADO PRIMITIVO: O intermédio de dois mundos
Data: Até 28 de novembro de 2018
Horário: Segunda à sexta-feira, das 7 às 17 horas
Local: Casa da Cultura (Rua Torquato de Almeida, 26, Centro – Pará de Minas/MG)
Entrada gratuita

Após passar por SP e RJ, Lacerdine expõe, pela primeira vez, em sua terra natal (Crédito: Arte Lacerdine)

Lacerdine como violeiro Ilton Mourão

Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons