Vendas do varejo na região têm alta de 7,3% em novembro

De acordo com o Sincovat, faturamento real do setor foi de R$ 3 bilhões

O comércio varejista na RM Vale faturou R$ 3  bilhões em novembro, alta de 7,3% em comparação ao mesmo período de 2017. No acumulado de janeiro a novembro, a elevação foi de 6,5%. Nos últimos 12 meses, o crescimento foi de 6,6%.

Os dados recebidos pelo Sincovat (Sindicato do Comércio Varejista de Taubaté e região) são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PCCV), realizada mensalmente pela FecomercioSP, com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP).

Em novembro, todas as nove atividades pesquisadas obtiveram expansão em seu faturamento real no comparativo anual, com destaque para os setores de supermercados (8%).

Para o presidente do Sincovat e vice-presidente da FecomercioSP, Dan Guinsburg, os resultados de novembro não deixam dúvida de que há um ciclo de recuperação do comércio após a crise de 2014-2016

 

A retomada do crédito, com aumento da oferta e juros em queda, e a melhoria dos índices de desemprego – em meio a um cenário de inflação estabilizada em patamares baixos – estão permitindo recuperação do nível de confiança dos consumidores, o que é essencial para o comércio”, explica Dan.

Ao contrário do que foi visto em 2017, o desempenho das vendas de 2018 permanece ancorado nos segmentos de bens duráveis, eletrônicos e eletrodomésticos em especial.

Desempenho estadual

As vendas do comércio varejista no Estado de São Paulo seguiram a trajetória ascendente e atingiram R$ 61,7 bilhões em novembro, alta real de 6,3% em comparação ao mesmo período de 2017. Foi a maior cifra para um mês de novembro desde o começo da série histórica, em 2008.

No ano, o faturamento real do setor cresceu 5,4%, o que representa um montante de R$ 31,5 bilhões maior do que o obtido no período de janeiro a novembro de 2017. No acumulado de 12 meses, apontou alta de 5,1%.

Segundo a FecomercioSP, se o desemprego continuar caindo e o crédito aumentar, as chances de o comércio continuar apresentando crescimento também em 2019 são grandes. Contudo, ainda é preciso prestar atenção aos novos índices da conjuntura econômica, como inflação, PIB, taxas de juros etc.

Foto: Divulgação Sincovat