Veículos autônomos são realidade próxima? Entenda

Em 2035, 75% dos carros vendidos devem ser autônomos.

Você confiaria a sua vida e a de sua família a uma máquina? Esta é uma boa pergunta quando falamos de carros autônomos. Entre as diversas inovações que se tornaram possíveis com os avanços tecnológicos, os carros que se movimentam sozinhos e podem ser comandados por computador são uma aposta do mercado.

Os carros autônomos estão próximos da nossa realidade, pelo menos, em alguns países. Segundo uma pesquisa da Ernst & Young, a expectativa é que, até 2025, cerca de 4% dos automóveis sejam autônomos. Em 2035, a previsão é que esse número suba para 75% dos veículos vendidos.

Pela pesquisa, em 15 anos, os carros autônomos devem tornar-se uma realidade em todo o mundo. No Brasil, ainda não há previsão de quando o primeiro modelo autônomo estará disponível, mas já existem projetos sobre o tema.

Bons exemplos em solo brasileiro são o projeto Carro Robótico Inteligente para Navegação Autônoma (CaRINA) mantido pela Universidade de São Paulo (USP) e o projeto Carro Autônomo Desenvolvido na UFMG (CADU) de autoria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O que são carros autônomos e como eles funcionam?

Como o nome já indica, um carro autônomo não precisa de motorista para andar. Esse tipo de automóvel é robotizado e desenvolvido para viagens em destinos pré-definidos, funcionando sem ações humanas.

A ideia é que as máquinas possam controlar o veículo de maneira eficiente, respeitando sinalizações de trânsito, evitando acidentes e trazendo mais praticidade para o dono do carro.

Basicamente, esses veículos se movimentam por meio de câmeras, sensores e radares instalados no carro. Assim, um automóvel robotizado consegue detectar sinais de trânsito, pessoas e obstáculos. As informações são enviadas para a central de controle do veículo que emite os comandos de direção.

Quando teremos carros autônomos nas ruas?

Existem diversos tipos de protótipos de carros autônomos em vários países do mundo, e alguns deles já estão em fases avançadas de testes. Falaremos, aqui, do R2 da startup Nuro, empresa fundada por dois ex-funcionários do Google.

O R2 foi autorizado pelo governo americano a circular pelas ruas de Houston, no Texas. Este é o primeiro carro a andar completamente sozinho em solo americano. Alguns outros projetos já haviam recebido permissão, mas sempre com a premissa de contar com um motorista para assumir o controle em qualquer emergência.

Neste primeiro momento, o R2 não será usado para transportar pessoas. O carro será utilizado apenas para fazer entregas e alcançará uma velocidade máxima de 40 km/h na fase inicial dos testes.

A Nuro ressaltou que o veículo foi projetado para enriquecer o comércio local com a entrega de produtos de consumo. Assim, o R2 está pronto para servir como um veículo de bairro socialmente responsável. Em dois anos, a previsão é de que a Nuro coloque até cinco mil veículos R2 nas ruas.

No Brasil, também já há projetos de carros autônomos bastante avançados. Um deles é capitaneado pelo iFood, principal aplicativo de delivery do país. A empresa levou, em janeiro deste ano, o seu veículo autônomo até a sede da companhia em Osasco, na Grande São Paulo.

O veículo batizado como ADA está em fase de testes e, em breve, começará a funcionar no estado de São Paulo. Ainda não há uma data definida para o início da operação e nem informações sobre o estabelecimento que participará dessa fase do projeto.

A primeira etapa do projeto é fazer com que o carro faça o trajeto de deslocamento da entrega, retirando os pedidos em restaurantes e levando-os até o iFood Hub, local onde os entregadores recolhem os alimentos para realizar os deliveries pela cidade.

Instagram