Tribunal de Justiça empossa cinco novos desembargadores

Pela primeira vez, solenidade foi realizada via internet.

Tribunal de Justiça de São Paulo celebrou, hoje (18), a posse administrativa de cinco novos desembargadores: Ligia Donati Cajon, Luis Augusto de Sampaio Arruda, Eduardo Crescenti Abdalla, Alexandre Augusto Pinto Moreira Marcondes e Rosangela Maria Telles. Pela primeira vez na história da Corte paulista por meio exclusivo de videoconferência, o evento foi acompanhado ao vivo por magistrados, servidores e convidados dos empossandos pela plataforma Teams.

O presidente do TJSP, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco, presidiu a cerimônia, que contou com a presença dos integrantes do Conselho Superior da Magistratura: o vice-presidente, desembargador Luis Soares de Mello; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Mair Anafe; o decano da Corte, desembargador José Carlos Gonçalves Xavier de Aquino; e os presidentes das Seções, desembargadores Guilherme Gonçalves Strenger (Direito Criminal), Paulo Magalhães da Costa Coelho (Direito Público) e Dimas Rubens Fonseca (Direito Privado). “Hoje é um dia de gala para o Tribunal de Justiça de São Paulo, Corte quase sesquicentenária, de muita história e que contou e conta com grandes nomes do mundo jurídico do País. Ela recebe, de braços abertos, nessa solenidade tão especial, cinco novos magistrados, que a ornamentarão com seus predicados de conhecimento, serenidade e compromisso com a causa da Justiça, além dos reconhecidos atributos éticos e morais. Sejam muito bem-vindos”, declarou.

Após a leitura do termo de compromisso, os empossandos prestaram juramento e proferiram seus agradecimentos. “Nesse momento só duas palavras me vêm à mente: gratidão e alegria. Gratidão a Deus por ter permitido que eu trilhasse o honroso caminho da Justiça e alegria por ter conseguido finalmente chegar a este honroso cargo, depois de 31 anos de magistratura, e por ter conseguido cumprir o meu dever”, afirmou a desembargadora Ligia Donati Cajon.

Luis Augusto de Sampaio Arruda falou de sua grande felicidade em alcançar o cargo de desembargador do TJSP, representando a coroação de uma vida de dedicação à Justiça. “Hoje, depois de 31 anos de trabalho, posso dizer que, mais do que felicidade, sinto também um grande orgulho por pertencer a um Tribunal composto por magistrados de tamanha capacidade, dedicação e honradez”.

Para o desembargador Eduardo Crescenti Abdalla, após 37 anos de TJSP o momento é de extrema felicidade. “Sinto-me honrado por ter galgado o mais alto degrau da carreira e o faço com humildade e gratidão, assegurando manter o mesmo entusiasmo e vontade de exercer a melhor prestação jurisdicional possível”, disse.

“É uma sensação difícil de expressar atingir o posto mais elevado da carreira da Magistratura do maior e mais qualificado Tribunal de Justiça desse País. Com quase 34 anos de carreira, hoje eu sou uma pessoa realizada profissionalmente, tenho um amor imenso pela função que exerço e pretendo exercer da melhor forma possível”, declarou Alexandre Augusto Pinto Moreira Marcondes.

Ao recordar a trajetória, a desembargadora Rosangela Maria Telles destacou sua intenção de sempre auxiliar o , de fazer justiça e de julgar rapidamente. “Trinta anos se passaram até que eu chegasse a esse momento de glória e de júbilo. Houve dificuldades para subir todos os degraus, mas foram superadas com folga pelas fases de alegria e de realização pessoais. Minha coragem sempre me guiou e minha vontade de servir não encontrou limites”, afirmou.

Para encerrar a cerimônia on-line, o presidente da Corte relembrou que a posse de novos desembargadores é motivo de muita alegria e de renovação. “São homens e mulheres que se dedicam e que merecem o reconhecimento e os aplausos de todos nós. O Tribunal de Justiça de São Paulo está sempre se renovando. E não há nada a temer, porque os valores novos vêm preencher as lacunas existentes. Essa renovação não é apenas uma exigência natural, mas absolutamente necessária e desejada, pois representa a mensagem dos novos tempos, da vida em contínua transformação”, pontuou Pinheiro Franco. As assinaturas do livro de posse serão colhidas oportunamente e a entrega do Colar do Mérito Judiciário ocorrerá assim que os trabalhos presenciais forem retomados.

Desembargadores

Acompanharam a solenidade de posse os familiares dos desembargadores empossados: Antonio José Alves Antequera, marido da desembargadora Ligia Donati Cajon; os filhos do desembargador Luis Augusto de Sampaio Arruda: Luis Felipe, Juliana e Luis Henrique; a esposa e os filhos do desembargador Eduardo Crescenti Abdalla, Priscila Chiarello de Souza Pinto Abdalla, Rafael, Marcela e Beatriz; esposa e filhos do desembargador Alexandre Augusto Pinto Moreira Marcondes: Lígia Vasconcellos Sobral Marcondes, Rafael e Lucas; e o desembargador Cláudio Antônio Marques da Silva e Daniel Telles Lotti, marido e filho da empossada Rosangela Maria Telles.

Trajetórias

Ligia Donati Cajon – Nascida em São Paulo, graduou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, turma de 1982. Aprovada no 156º concurso da Magistratura, tomou posse em 1989. Foi juíza em Taubaté, Osasco, Teodoro Sampaio e Caçapava. Na Capital, foi promovida para a 5ª Vara Cível de Santo Amaro em 2004 e, em 2007, removida para a 3ª Vara Cível de Catanduva. Ocupa vaga de desembargadora decorrente da aposentadoria do desembargador Márcio Martins Bonilha Filho.

Luis Augusto de Sampaio Arruda – Natural de São Paulo, formou-se pela Universidade de São Paulo, turma de 1987. Ingressou na Magistratura em 1989, na 10ª Circunscrição Judiciária, com sede em Limeira. Promovido para a Comarca de Fartura e Caraguatatuba, assumiu o posto de juiz auxiliar da Capital em 1992. Em 2005 foi promovido para a 1ª Vara da Família e Sucessões e desde 2013 atua como juiz substituto em 2º Grau. Assume a cadeira do desembargador Eros Piceli.

Eduardo Crescenti Abdalla – Nascido em Santos, cursou Direito na Universidade Católica de Santos, onde formou-se em 1987. Em 1989 foi nomeado para a 48ª Circunscrição Judiciária, com sede em Guaratinguetá, e promovido para o cargo de juiz auxiliar da Capital em 1992. Atuou na 25ª Vara Criminal Central da Capital entre 2005 e 2013, quando se tornou juiz substituto em 2º Grau. Promovido à vaga decorrente da aposentadoria do desembargador Gilberto Gomes de Macedo Leme.

Alexandre Augusto Pinto Moreira Marcondes – Natural de São Paulo, formou-se em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, turma de 1980. Ingressou na Magistratura em 1990, nomeado para a 34ª Circunscrição Judiciária, com sede em Piracicaba. Após atuar nas comarcas de Guariba e Piedade, chegou à São Paulo em 1992. Em 2005 tornou-se juiz titular da 12ª Vara Cível Central e em 2013 foi removido para o cargo de juiz substituto em 2º Grau. Ocupa a vaga deixada pela aposentadoria do desembargador José Roberto Furquim Cabella.

Rosangela Maria Telles – Natural de São Paulo, é bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, turma de 1984, e mestre pela Universidade Paulista. Foi nomeada para a 16ª Circunscrição Judiciária com sede em São José do Rio Preto em 1990 e promovida para o cargo de juíza de direito auxiliar da Capital em 1992. Exerceu a magistratura na 4ª Vara de Cível do Foro Regional de São Miguel Paulista de 2005 a 2009 e na 4ª Vara Cível do Foro Regional de Penha de França entre 2009 e 2014, quando foi removida para o cargo de juíza substituta em 2º grau. Promovida à vaga decorrente da aposentadoria do desembargador Renato de Salles Abreu Filho.

Comunicação Social TJSP – AA (texto) / PS e RL (fotos)

Tribunal de Justiça de São Paulo

Instagram