Tendência em centros urbanos, pet places conquistam espaços em Florianópolis

As cidades são planejadas para atender as necessidades da população e estão em constante transformação, adaptando-se a novos hábitos e comportamentos. O aumento do número de cães e gatos nos lares brasileiros e a sua elevação ao status de “membros da família” vêm gerando mudanças nos espaços públicos de convivência, que passaram a contar com os chamados “pet places”, locais reservados para os animais. Eles já são realidade em várias cidades brasileiras como Florianópolis (SC), em praças, parques e até locais fechados, como cafeterias. “Esses espaços vêm ao encontro do desejo das pessoas de passar mais tempo com seus animais de estimação sem abrir mão do seu lazer”, afirma o médico veterinário Luciano Granemann e Silva, proprietário da Clínica e Hospital Veterinário 24h Cão.Com e idealizador do espaço pet do Café Cultura na Lagoa da Conceição.

Os moradores e turistas da capital catarinense podem levar seus animais para curtir os pet places em importantes praças da cidade. Uma delas é a Governador Celso Ramos, que fica próxima ao hotel Majestic, que em 2016 recebeu o espaço para os bichinhos brincarem, com 154 m². A obra foi um pedido da comunidade e acabou sendo a primeira do tipo na cidade. Outro exemplo é a Praça Getúlio Vargas, nos altos da Avenida Rio Branco, no Centro (mais conhecida como Praça dos Bombeiros). Ela foi reaberta ao público totalmente reformada naquele mesmo ano e já nasceu com esse equipamento urbano. São 102 m² exclusivos para os animais de estimação cobertos com saibro.

Outro espaço público de grande circulação de pessoas que se adaptou aos novos tempos foi o Parque de Coqueiros, na parte continental de Florianópolis. Depois de um período de reformas, ele foi reinaugurado no final do ano passado com uma novidade: um pet place de 200 m².

No mês passado, Jurerê Internacional, na região norte de Florianópolis, também ganhou um pet place. O espaço, localizado dentro do Jurerê Sports Center – Centro Artístico e Esportivo, e aberto gratuitamente ao público, tem 64 m², conta com adestradores e oferece uma série de brinquedos. Segundo Paulo André Jukoski da Silva, o Paulão, campeão olímpico de vôlei e diretor esportivo do JUSC, o objetivo é oferecer um espaço seguro e aconchegante em meio a uma área verde onde as pessoas possam passear e se divertir com seus animais de estimação. “Os praticantes também podem deixar seus pets em uma área protegida enquanto fazem suas aulas ou mesmo almoçam no local”, afirma.

Onde levar meu pet em dias de chuva?

Os shoppings também vêm aderindo à tendência. Os três existentes em Florianópolis são pet friendly, permitindo a circulação de animais de estimação acompanhados de seus tutores, cada um com regras específicas.  O Floripa Shopping aceita cães de todos os portes, sendo que para algumas raças a coleira e a focinheira são obrigatórias, como Pit Bull e Rottweiler. O acesso é permitido nas áreas comuns, exceto em alguns locais, como a Praça de alimentação, por respeito às normas da Vigilância Sanitária. O shopping oferece ainda o serviço carrinho pet, que pode ser retirado gratuitamente no Espaço Cliente. O Beiramar Shopping permite apenas a circulação de animais de pequeno porte, no colo de seus donos ou em carrinhos apropriados. O Shopping Iguatemi também só aceita cães de pequeno porte com a utilização de guias.

A cidade já conta com vários estabelecimentos pet friendly, como restaurantes e cafés. Pioneiro no conceito em Florianópolis, o Café Cultura oferece o “Espaço Pet” na nova loja localizada na Lagoa da Conceição, um ambiente projetado especialmente para eles, com comedouros, bebedouros, caminhas e pet pod (fixadores para as guias). No local também são realizados eventos e palestras com temas relevantes, como vacinas, saúde e comportamento animal.

O que eu preciso saber antes de frequentar um pet place?

 

Segundo o médico veterinário Luciano Granemann e Silva, ospet places oferecem vários benefícios para os animais de estimação, entre eles o estímulo à socialização com pessoas e outros pets e a possibilidade de se exercitarem.

Mas é preciso respeitar algumas regras e seguir alguns cuidados. Confira as recomendações e dicas de Luciano.

– Certifique-se de que seu pet está com vermífugo, antipulgas e vacinas em dia.

– Mesmo que seu cão seja sociável, enquanto estiver com ele em locais públicos, mantenha-o na guia sob a sua liderança, para evitar acidentes, até chegar ao pet place, onde poderá deixá-lo à vontade para interagir com o espaço.

– Um período de adaptação ao local, às pessoas e aos outros animais que o frequentam é importante, mesmo que seu animal esteja acostumado a passear. Ele precisa se sentir seguro e ser apresentado aos patudos frequentes. No começo, deixe-o um tempo menor e sempre sob a sua supervisão.

– Não existe um tempo mínimo e máximo de permanência no local. Ele varia de animal para animal, mas o ideal é não ultrapassar uma hora. Preste atenção em sinais de cansaço, assim como de interesse, de seu pet.

– Quanto à idade, é recomendável estimular a socialização 15 dias após ele ter tomado todas as vacinas, o que ocorre entre três e quatro meses. Isso porque aos seis meses encerra-se uma importante fase na vida dos cães, a da socialização.

– Leve água. Pets gostam de se hidratar após passar um tempo ao ar livre brincando e se exercitando.

– Petiscos podem ser usados como recompensas em brincadeiras e treinamentos de comportamento.

– Guia e kit de higiene (saco e lenço umedecido) também não podem faltar.

– Não se esqueça dos brinquedos. Bolas e mordedores estão entre os preferidos deles.

– Se for até o local de carro, utilize o cinto de segurança ou a caixa de transporte.

Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons