Telefonia fixa está presente em 35,45 milhões de domicílios

O serviço telefônico fixo comutado (STFC) apresentou queda de 7,94% nos últimos 12 meses
Em julho passado, 35,45 milhões de domicílios brasileiros tinham acesso ao serviço de telefonia fixa, o que representa uma redução de 3,06 milhões de linhas (-7,94%) nos últimos 12 meses. Em relação a junho, o número de junho apresenta redução de 233,89 mil linhas fixas (-0,66%). As concessionárias da telefonia fixa totalizaram 19,61 milhões em julho, redução de 2,11 milhões (-9,73%) em doze meses e de 172,17 mil (-0,87%) entre os meses de junho e julho. E as autorizadas 15,84 milhões, redução de 944,70 mil (-5,63%) e de 61,72 mil (-0,39%). Os números do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) estão disponíveis no Portal da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Telefonia fixa 

A Vivo registrou a maior participação de mercado em julho de 2019, com 11,63 milhões de linhas fixas (32,80% do total), seguida da Oi com 11,10 milhões (31,31%), da Claro com 10,02 milhões (28,26%) e da TIM com 1,00 milhão (2,83%). As demais prestadoras somadas registraram 1,70 milhão (4,81%). Das concessionárias nacionais, a Oi possui o maior número de domicílios com linhas fixas, 10,92 milhões (55,69% do total de linhas em regime público), seguida da Vivo, 7,82 milhões (39,90%). Das autorizadas, as três maiores são Claro com 10,02 milhões (63,24% do total das linhas fixas em regime privado), Vivo com 3,80 milhões (24,00%) e Tim com 1,00 milhão (6,33%).
Das prestadoras nacionais, apenas a TIM registrou crescimento nos últimos 12 meses e, também, na variação entre junho e julho deste ano no total de linhas fixas, mais 214,99 mil (+23,70%) e mais 15,57 mil (1,58%) respectivamente. Mesmo as Prestadoras de Pequeno Porte (PPP), no conjunto, se mantiveram estáveis nos doze últimos meses com 472,89 mil linhas fixas, acréscimo de 451 unidades (+0,10%), e na variação mensal menos 960 unidades (-0,40%).

Anatel