Sindicato dos Metalúrgicos distribui jornais para divulgar riscos de venda da Embraer

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, filiado à CSP-Conlutas,  começou a distribuir nesta quarta-feira (8) um jornal sobre os riscos envolvidos na venda da Embraer para a Boeing e os impactos para a cidade, a região e o país. Foram impressas 150 mil unidades para serem entregues principalmente em bairros populares de São José dos Campos, Jacareí e Caçapava.

O objetivo é mostrar para a população os impactos negativos que esse negócio provocará e envolvê-la na discussão para pressionar o governo federal a fim de barrar a venda – algo possível se o presidente da República usar a ação golden share, que dá direito de veto sobre a operação.

O jornal traz informações sobre os riscos de perda de empregos, queda na arrecadação de impostos para a cidade e perda do controle da tecnologia. Um dos problemas mais graves apontados pelo Sindicato refere-se à falta de garantia para que a Boeing traga novos projetos de aviões para o Brasil. Sem esses projetos, em dez anos (período médio do ciclo de um modelo de avião) a Embraer corre o risco de encerrar suas atividades em solo brasileiro.

Outro aspecto abordado pela publicação é a necessidade de reestatização da Embraer. Desde que foi privatizada, em 1994, a Embraer já foi beneficiada com US$ 24 bilhões em financiamentos públicos, incentivos fiscais e contratos com o governo.

“Com esse jornal, queremos que a população conheça tudo o que representa a possível venda da Embraer. Há uma ilusão de que ao ser vendida para a Boeing, a empresa brasileira vai se fortalecer. É justamente o contrário. O Brasil e nossa região só têm a perder com essa transação comercial. É importante que a população esteja consciente disso e cobre do governo o veto à venda”, afirma o diretor do Sindicato Herbert Claros.

Foto:Rodolfo Moreira/ Arquivo
Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons