Sindicato dos Metalúrgicos defende veto à venda da Embraer

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, filiado à CSP-Conlutas, vai entrar em uma nova fase na luta contra a venda da Embraer para a Boeing. Com o anúncio de entendimento entre as duas empresas, divulgado nesta quinta-feira (5), o Sindicato vai cobrar do Governo Federal e do Congresso Nacional o veto à operação que coloca em risco a soberania nacional e milhares de empregos do setor aeronáutico.

A joint venture entre Embraer e Boeing não é um negócio qualquer. A empresa brasileira é a terceira maior exportadora do Brasil. Está atrás apenas da Vale e Petrobras. Trata-se do único setor de tecnologia intensa que possui superávit na balança comercial brasileira.
O governo federal, detentor da ação Golden Share, tem a obrigação de vetar a negociação. Ao contrário do que afirmou a Embraer em comunicado, esta junção não trará benefícios para o Brasil e, muito menos, para os trabalhadores brasileiros.
Desde que os planos de venda foram divulgados, no final do ano passado, as demissões não param de acontecer na Embraer. Embora o Sindicato não tenha acesso a números oficiais, estima-se que este ano já foram demitidos cerca de 300 funcionários.
Segundo o comunicado da Embraer, o setor de defesa – essencial para a soberania do Brasil – também ficará nas mãos da norte-americana Boeing por meio de outra joint venture.
O Governo Federal e o Congresso Nacional têm o papel de defender os interesses do Brasil e, portanto, não podem ser coniventes com esse crime de lesa-pátria.
O Sindicato dos Metalúrgicos reafirma sua posição contrária à venda da Embraer e defende a imediata estabilidade no emprego para todos os trabalhadores e a reestatização da empresa.
Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons