Setores de pesquisa e inovação receberão investimento de US$1,5 bilhão

Nesta semana, o governo federal e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) assinaram o primeiro contrato de empréstimo que vai destinar mais de US$ 600 milhões para alavancar pesquisas de inovação no Brasil.

De acordo com o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento, Álvaro Prata, estes recursos fazem parte de uma linha de crédito de US$ 1,5 bilhão.

“Estes recursos vem, sobretudo, para alavancar o desenvolvimento tecnológico, a inovação. US$ 600 milhões estão liberados para a realização dos projetos que serão contratados a partir de editais nas nossas áreas estratégicas. E, na medida em que estes recursos forem sendo utilizados virá o restante que totalizam US$ 1,5 bilhão, que se aproximam de R$ 6 bilhões.”

Segundo o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Maximiliano Martinhão, com estes recursos diversos projetos direcionados para o agronegócio, tecnologia da informação e saúde serão beneficiados.

“Nós temos projetos na área do agronegócio, inovação no agronegócio, inovação em saúde, na cadeia de fármacos, inovação em tecnologia da informação. Nós temos aí o Brasil entrando em um projeto amplo coordenado aqui pelo ministro Kassab na área de Internet das Coisas, que vai transformar diversas cadeias de produtos e serviços no país.”

A operação aprovada pelo Senado era negociada desde 2017 e é a maior que a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) já captou no exterior.

A assinatura desta operação de financiamento foi realizada durante a reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT), entidade que reúne representantes de entidades científicas e de pesquisa, empresas públicas, universidades e órgãos de fomento à pesquisa e inovação.

No evento, também foram anunciadas as indicações de 80 cientistas e pesquisadores para a Ordem Nacional do Mérito Científico, uma premiação que reconhece personalidades de destaque na ciência e tecnologia.

Reportagem, Cintia Moreira/Agência do Rádio Mais

Foto:EBC