Secretaria se une a entidades para orientar sobre a importância da alimentação saudável na prevenção do câncer de mama

0
16

 

Imagem 075-001

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), quer desenvolver, em parceria com a Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para a Mulher e a organização não governamental Mamas do Amor, ações para conscientizar e orientar as mulheres sobre a importância de uma alimentação mais saudável para maior qualidade de vida e a prevenção de doenças como o câncer de mama.

Para elaborar as ações, o titular da Codeagro, Michel Reche Beraldo, acompanhado da nutricionista Milene Massaro, se reuniu na sede da Pasta Estadual, no dia 24 de janeiro de 2017, com a coordenadora estadual de Políticas Públicas para a Mulher, Albertina Duarte Takiuti, e as representantes da ONG, Fernanda Chaim Bali Aguiar, Nadja Haddad e Angela Silva, respectivamente, presidente, vice-presidente e voluntária da entidade.

Conforme alertou Albertina Duarte, além do risco de desenvolver hipertensão, diabetes, problemas hormonais e câncer na região abdominal, pesquisas recentes apontam que mulheres obesas têm 30% mais chances de ter câncer de mama. “A obesidade supera o tabagismo e o alcoolismo, que representam 20% e 15% de chance da mulher ter a doença, respectivamente”, afirmou a ginecologista.

Por isso, continuou a especialista, a prevenção adequada tem início na adolescência com uma alimentação saudável. “Essa nova situação faz com que, na pauta da prevenção, se coloque o hábito de comer melhor. Mesmo que o histórico da doença na família seja relevante, considerar a alimentação como fator tão forte quanto a hereditariedade é um novo parâmetro para a prevenção”, ponderou.

De acordo com Michel Reche Beraldo, a ação preventiva e informativa terá como foco a mulher tanto no ambiente urbano quanto rural. “A ideia é elaborar ações conjuntas como manuais com orientações de alimentação mais saudável, como prevenir a doença por meio do exame de toque e como confeccionar as próteses feitas com meia de nylon e alpiste, conforme a proposta da ONG”, explicou.

A importância de incluir a alimentação como um dos cuidados preventivos do câncer de mama é reforçada por Fernanda Chaim Bali Aguiar. “A parceria com a Secretaria é muito importante para disseminar às mulheres meios de lidar com a doença, tanto na prevenção, com a alimentação, como na questão da auto-estima desta doença, que apresenta 95% de chances de cura”. Acometida pelo câncer nas duas mamas há cerca de um ano, ela criou a ONG Mamas do Amor, que se dedica a fabricar, distribuir e orientar a produção de próteses mamárias feitas com meias de nylon e grãos de alpiste, prática muito utilizada antigamente em mulheres que passavam pela mastectomia.  

“Devido a uma infecção, precisei retirar as próteses de silicone e resolvi fazer as mamas de alpiste. Elas são mais baratas e confortáveis e tem um custo de R$ 6,00, enquanto as de silicone podem chegar a R$ 500,00. Resolvi distribuir e doar para mulheres de todo o País e mundo, com a ajuda de voluntárias”, contou a presidente da entidade, que levou a proposta à Organização das Nações Unidas (ONU).

A ação terá início já no dia 8 de março, durante evento realizado na capital paulista, no qual serão veiculados vídeos com informações sobre o consumo de alimentos processados e alternativas mais saudáveis, produzidos sob orientação da nutricionista da Codeagro Milene Massaro. O material também deverá ser reproduzido em breve nas salas de espera de unidades de saúde.

Para a jornalista e vice-presidente da ONG, Nadja Haddad, a informação para as mulheres é fundamental não só no que diz respeito à saúde, mas para que aquelas que foram prejudicadas por um câncer, saibam lidar com uma nova rotina. “Com apoio do poder público, acredito que conseguiremos alcançar novos polos de mulheres que têm necessidade desta informação, incluindo a mulher no ambiente rural”, afirmou a jornalista.

“Orientar e incentivar o consumo de alimentos saudáveis, provenientes da rica agropecuária paulista e acessíveis à população, é um dever do Poder Público e uma diretriz do governador Geraldo Alckmin, que por ser médico, sabe da importância de bons hábitos alimentares para a prevenção de doenças e melhoria na qualidade de vida dos cidadãos paulistas”, afirmou o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim.

Por: Paloma Minke

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here