São José tem menores taxas de criminalidade dos últimos 18 anos

Com a integração das forças policiais e a ampliação de investimentos e ações de segurança através do São José Unida, os principais índices de criminalidade em São José dos Campos têm despencado progressivamente, principalmente na comparação com 2016, ano anterior à implantação do programa.

Nos oito primeiros meses de 2019, o município registrou as menores taxas de homicídios, roubos, furtos e roubos somados e roubos de veículos em comparação ao mesmo período dos últimos 18 anos, considerando os dados desde o início da série histórica, em 2002.

De acordo com os dados disponibilizados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública na última quarta-feira (25), de janeiro a agosto ocorreram 32 assassinatos, uma média de 4 por mês.

Outro dado significativo é que em agosto foi registrado o primeiro latrocínio (roubo seguido de morte) deste ano.

Na comparação com 2016, a queda é expressiva e vertiginosa, de 38%. Naquele ano, o número de homicídios chegou a 52.

Homicídios em queda

Desde que foi implantado pela Prefeitura em 2017, o programa São José Unida tem contribuído para a redução progressiva dos índices de criminalidade.

Nos três anos desde que o programa está em ação, as taxas dos oito primeiros meses ficaram entre as menores da história: 32 em 2019, 37 em 2018 e 35 em 2017.

As 32 mortes deste ano representam queda de 13,5% em relação a 2018 e de 8,5% em comparação com 2017.

Em relação às 153 mortes de 2003, quando houve a maior taxa da série histórica, a queda é mais expressiva ainda, de 79%. Se comparada com a média dos 18 anos, de 62 assassinatos, os 32 registros dos oito primeiros meses deste ano representam uma redução de 48%.

Além de garantir a redução do número de mortes, o São José Unida tem contribuído para solução mais rápida dos homicídios. A taxa atual, segundo a Polícia Civil, é de 92%. Antes da instituição do programa pela atual Administração, o índice era, em média, de 55%.

Outros indicadores

As taxas de roubos, assaltos e furtos somados e roubos de veículos também despencaram nos oito primeiros meses de 2019 e são as menores desde o início da série histórica em 2002.

De janeiro a agosto deste ano, foram 1.510 roubos, sendo que não houve assaltos a banco e foram registrados apenas 11 casos de roubos de cargas.

O índice é praticamente a metade do total de 2016, quando houve 2.954 roubos.

Nos oito primeiros meses de 2019, a soma de assaltos + furtos foi de 5.016, contra 7.205 de 2016, o que representa um recuo de 30%.

Quanto aos 292 roubos de veículos, a primeira vez que o índice ficou abaixo de 300 nos últimos 18 anos, o decréscimo em relação a 2016 é de 47% –naquele ano, foram 554. 

Combate ao crime

Sob a liderança da Administração, participam do programa São José Unida a Guarda Civil Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Técnico-Científica, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Federal, Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros e Detran-SP.

Também vem sendo ampliados os investimentos e ações em segurança pública. Além de apoiar as forças policiais e de manutenção da lei e da ordem, a Prefeitura continua a promover ações e realizar obras que garantem mais segurança para a população.

Entre as iniciativas, destacam-se a implantação de lâmpadas de LED em todas as regiões, os 176 Portais de Segurança (sistema eletrônico de monitoramento de veículos), a reativação da Atividade Delegada e os constantes investimentos em capacitação e melhoria da infraestrutura da Guarda Civil Municipal.

Novas câmeras

Outro avanço significativo será no monitoramento, o que contribuirá ainda mais para a queda dos índices de criminalidade em São José.

Já está sendo realizada concorrência para o projeto de solução de Cidade Inteligente (SCaaS – Smart City as a Service), com 1.000 câmeras de monitoramento por toda a cidade, interligação semafórica, antenas de wi-fi com internet gratuita à população e a criação de um CSI (Centro de Segurança Integrada).

Onze concorrentes participam do certame. Foram oito consórcios — que reúnem mais de 20 empresas — além de três empresas individuais.

A previsão é de que os novos serviços sejam implantados no prazo máximo de 9 meses após a contratação.

O novo projeto representa um avanço no apoio à segurança pública e propiciará mais conectividade para melhorar a vida das pessoas.

As novas câmeras irão produzir imagens em full HD, sendo algumas delas com visão geral panorâmica.

Atualmente, a cidade possui 493 câmeras de vigilância, que serão substituídas pelas novas câmeras e permitirão que o sistema de monitoramento chegue aos extremos da cidade e a bairros distantes da região central.

As imagens contemplarão o serviço de inteligência que possibilitará ainda o reconhecimento facial e leitura de placas de veículos. As imagens serão salvas com data, hora e local, possibilitando registrar ocorrências em tempo real.

A ferramenta também permite detectar estacionamento ilegal e observar a concentração de pessoas dentro de um grande evento para melhor planejar a segurança de todos.

Índices de criminalidade (janeiro a agosto)

Homicídios
2019: 32
2018: 37
2017: 35
2016: 52
Queda de 13,5% em relação a 2018, de 8,5% na comparação com 2017 e de 38% quanto a 2016

Roubos
2019: 1.510
2018: 2.009
2017: 2.242
2016: 2.954
Redução de 25% quanto a 2018, de 33% na comparação com 2017 e de 49% em relação a 2016

Assaltos + furtos
2019: 5.016
2018: 5.512
2017: 6.423
2016: 7.205
Recuo de 9% em relação a 2018, de 22% na comparação com 2017 e de 30% quanto a 2016

Roubos de veículos 
2019: 292
2018: 478
2017: 509
2016: 554
Decréscimo de 39% quanto a 2018, de 43% na comparação com 2017 e de 47% em relação a 2016