Samuca Moretti lança o DVD “Caminhos”, que traz o conceito inovador do pedal de loop

Músico e cantor, Samuca Moretti é um dos pioneiros no país na utilização de loop, uma tecnologia que possibilita que o artista grave pequenos trechos musicais, sejam eles licks, riffs, grooves ou até mesmo frases, que são reproduzidos na sequência, somando os acordes de seu violão aos sons previamente gravados.   

Depois de dois álbuns gravados com banda, Samuca Moretti lança seu mais novo e melhor trabalho, batizado de “Caminhos”. O DVD tem quatro faixas, entre regravações e inéditas. As releituras são duas composições de peso: “Terra de Gigantes”, de Humberto Gessinger, e “Mensagem de Amor”, de Herbert Viana. “Caminhos”, que dá nome ao DVD, é de autoria do próprio Samuca Moretti. Fechando o álbum, “Começo e Meio”(Marcos Montteiro). 

A gravação aconteceu no Trama Estúdios, de João Marcelo Bôscoli, produtor musical e empresário que tem em seu DNA uma forte ligação com a MPB. Filho de Elis Regina e Ronaldo Bôscoli, João Marcelo comanda o estúdio por onde já passaram (e passam) todos os grandes nomes da música brasileira.  

A produção do álbum é de Marcelo Mariano, renomado produtor e músico, que já atuou no Brasil e exterior com  Ed Motta, Gal Costa, Ivete Sangalo, Jorge Aragão, Lobão, Lenine e Flávio Venturini, entre outros ícones da música brasileira. A mixagem e captação é assinada por Luís Paulo Serafim, um verdadeiro mestre no assunto, que traz no vasto e respeitado curriculum trabalhos com Roberto Carlos e “The Four Brasil”, reality show da Record TV. As imagens são de responsabilidade da All Produtora, sob a cuidadosa batuta do produtor e cineasta André Lopparelli.  

Sendo um dos pioneiros a utilizar o loop no Brasil e primeiro a registrar um trabalho autoral em DVD com esse equipamento, Samuca Moretti entra definitivamente na cena atual da chamada “Nova MPB”.  Com estilo próprio, marcante e uma ousadia que surpreende, ele é um eterno pesquisador de sonoridades. Sabendo da diversidade cultural presente em nosso vasto território, ele não tem medo de misturar ritmos e, apesar de ter a MPB como carro-chefe, não é raro encontrar em seu trabalho pitadas de folk, samba rock, bossa e até mesmo baião.  

Carlos Guerra / Porteira Brasil Comunicação 

Fotos: Anderson Barros