Saiba como o novo perfil de consumidor está impactando o mercado imobiliário

A internet vem mudando a forma de agir, pensar e comprar de todos no mundo. Hábitos que antes eram comuns foram substituídos por ações pautadas no mundo tecnológico. O mercado se adaptou às novas versões do consumidor e é claro que essas mudanças afetaram o mercado imobiliário.

 

Hoje um lançamento imobiliário precisa de muito para conseguir conquistar o coração dos consumidores. Investir em tecnologias que facilitem a vida do morador é talvez um dos pontos mais importantes do investimento imobiliário.

 

Seria bom se existisse algo como uma receita de bolo, seguir passo a passo sem errar te daria um bom resultado. Os investidores só precisariam colocar suas propagandas em lugares para as grandes massas consumirem, como por exemplo outdoors, TV, jornal, rádio, revista e etc.

Conquistando esse espaço, a missão de vender ficaria mais fácil.

 

Sendo assim, o imóvel se venderia sozinho, não precisaria de um esforço árduo do corretor ou algum tipo de poder especial para conseguir convencer o comprador. O consumidor não tinha outra opção se não aceitar e acreditar em que o corretor dizia.

 

Como surgiu esse novo consumidor

 

Com o acesso à internet disponível para todos, a democratização da informação nasceu, dando um triunfo a quem antes ficava preso aos moldes da grande mídia. Agora não é preciso confiar em tudo que lhe dizem, você pode fazer suas próprias pesquisas, buscar as melhores indicações e ver quem atende às suas necessidades.

 

Democratizar esse processo rendeu a indústria imobiliária um novo modo de fazer negócio. Já não era mais possível manter o mesmo modelo, ou cairiam em declínio. Então decidiram mudar, agora os corretores que antes tinham uma posição fria e distante, vão atrás de seus clientes.

 

Investiram em ferramentas digitais e passaram a alimentar todo o processo de publicidade pelas redes, criando um laço de confiança com o comprar e passando toda credibilidade que se é necessária nas redes.

 

Como ele se comporta?

 

Agora, o consumidor final tem contato direto com a imobiliária, com a construtora e com o corretor. Ele consegue avaliar as empresas mais bem vistas e fazer contato com ela sem sequer precisar falar ao telefone.

 

Muitas imobiliárias migram seu catálogo de imóveis para o digital, deixando disponíveis as fotos de antigos e novos lançamentos imobiliários. Com isso agora posso navegar e “visitar” uma casa, por exemplo, sem levantar do sofá de casa.

 

O novo modelo demorou para se adaptar, já que com imóveis que estão à venda tem moradores e divulgar fotos do ambiente era mais difícil. Outra questão é a comunicação, agora todas as empresas precisam disponibilizar um canal para dúvidas, e não deve ser um canal falho, isso quebra a credibilidade e afasta futuros clientes.

 

As mudanças foram tantas que hoje quando uma grande empresa vai fazer um lançamento imobiliário tem que ter cartas na manga, recentemente um lançamento contou com a presença de influenciadores digitais. Eles fizeram a cobertura do lançamento e disponibilizaram em seus canais.

 

Essa é uma grande tendência de mercado, uma vez que hoje os consumidores estão altamente ligados as mídias sociais como Facebook, Instagram e Twitter. E sempre estão acompanhando as timelines dos aplicativos, assim os anúncios de imóveis passaram a ocupar não a parte de classificados, mas sim os anúncios de internet.

 

Em 1980, o americano Alvin Toffler desenvolveu o termo prosumer, significa uma pessoa que além de cliente é produtor e consumidor. É um influenciador que tem várias formas de se comunicar e está sempre ligado as novidades.

 

O termo foi criado há quase 20 anos e hoje faz cada vez mais sentido. Traça um comportamento de muitos usuários, mesmo aquele com poucos seguidores e influência mínima.

 

Sendo assim, o novo consumidor fez o mercado imobiliário se ajustar e correr atrás de novas alternativas. Lançamentos imobiliários ficaram mais planejados, os condomínios passaram a contar com mais tecnologia e hoje podemos encontrar qualquer informação dando uma “googlada”.