Reformas e decoração tiveram aumento nas vendas em 2020

Há tendência para um grande consumo também em 2021 

A mudança expressiva que a pandemia causou nos brasileiros fez com que todo mundo repensasse a convivência não apenas com parceiros e familiares sob o mesmo teto, mas também a própria relação com o lar. 

Acontece que ficar o tempo inteiro em casa fez com que as pessoas começassem a reparar pequenos problemas dentro de casa que antes eram adiados em decorrência da rotina de trabalho – coisas simples, como a pintura da parede, a altura da pia, a mudança de móveis e até a própria conversão de um ambiente da casa adaptado ao home office. A consequência disso foi um aumento expressivo na busca por móveis, reformas e itens de tecnologia domésticos em 2020 – e que segue como tendência para 2021. 

Um levantamento realizado pela startup ArqExpress, empresa que trabalha com serviços de arquitetura e design de interiores, aponta que a procura por reformas de todos os portes cresceu cerca de 400% desde março de 2020, quando houve o início da quarentena. De acordo com a empresa, a maioria das buscas estava relacionada à construção de um espaço para home office, com móveis planejados, escrivaninhas e apetrechos tecnológicos voltados à vida profissional.

Os dados de crescimento também aparecem no estudo realizado pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), que mostra que, apenas entre os meses de março e abril, as vendas online de itens de decoração e móveis tiveram um aumento de 23,61%. As estatísticas apresentadas pela agência Corebiz registram que o e-commerce para casa e construção teve uma receita acumulada de R$ 9,7 milhões durante os dois meses pesquisados – uma alta de 107% em relação ao mesmo período de 2019. 

Itens relacionados

Além da procura por agências de arquitetura e profissionais da construção civil, cresceu também o número de pessoas destinadas a realizar pequenas reformas dentro do próprio lar, com ajuda de tutoriais da internet.

Dados do Google mostram que as buscas por artigos de decoração DIY, por exemplo, sofreram um aumento entre os meses de maio e junho, o que mostra que esse foi um dos passatempos mais procurados pelas pessoas durante o período de isolamento social. Além dele, também houve crescimento no mercado de tintas coloridas para parede, eletrodomésticos, escadas de alumínio – para reformas casuais dentro de casa – e itens de papelaria, voltados à facilidade e comodidade dentro do lar. 

Outro grande e perceptível aumento está relacionado à tecnologia das “casas inteligentes”. Dados do Google Trends indicam crescimento acima de 200% em buscas relacionadas à tecnologia facilitada para residências, sobretudo na semana da Black Friday. Os produtos mais buscados foram as luzes inteligentes, smart speakers (como Alexa) e produtos eletrônicos inteligentes destinados à cozinha. 

Foto: Divulgação

Instagram