Rede protetiva reúne 400 pessoas em palestras sobre violência sexual

Na manhã desta segunda-feira (08) foi de aprendizado e discussões na Sala Ariano Suassuna, em Jacareí. Aproximadamente 400 pessoas, entre profissionais de saúde, assistência social, esporte, conselheiros e poder judiciário se reuniram para debater formas de modernizar e tornar ainda mais efetiva a atuação das frentes na prevenção da violência sexual contra crianças e adolescentes.

Segundo dados da Rede Protetiva, somente 40% dos casos de violência sexual tem evidências físicas. Por isso, é importante que os responsáveis fiquem atentos a mudanças comportamentais, como ansiedade excessiva, medo, agressividade e outras mudanças de hábitos.

No evento foram realizadas palestras sobre ‘Pedofilia e Abuso Sexual Infantil’, ministrada pela Drª Marlene da Silva Ferreira, médica legista e sexóloga criminal especialista em violência sexual, fundadora do PRODIGS (projeto social sem fins lucrativos de prevenção ao abuso sexual infantil e promoção da dignidade sexual) e uma apresentação com a especialista em terapia familiar sistêmica e psicodrama, Dra. Renata Bueno, sobre ‘Aspectos psicológicos e o papel da família frente ao abuso de crianças e adolescentes’.

A sexóloga Mariana Pereira, em sua apresentação, comentou que “estamos vivendo uma mudança na forma de pensar violência sexual. É importante que os profissionais dessa área tenham uma visão diferenciada, livre de preconceitos e focada nas vítimas”.

Presente no evento, a secretária de Saúde, Rosana Gravena, explicou o papel da Secretaria de Saúde na acolhida da vítima. “A secretaria tem a prática do dia a dia. O município possui diversas portas de entrada e uma rede necessária e dedicada na proteção dessas pessoas, com profissionais sérios e competentes”, explicou a secretária.

Maria Thereza, secretária de Educação, em seu discurso de abertura, evidenciou o papel o compromisso da rede e de cada pessoa na formação da rede protetiva. “Quando falamos de proteção das crianças e adolescentes, na verdade falamos de um compromisso que é de todo município. Todas as pessoas fazem parte dessa rede de proteção, isso é fundamental”, disse.

Rede Protetiva da Infância e Adolescência: Formada por cidadãos, Conselho Tutelar, Delegacia de Polícia e Defesa da Mulher, Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Educação, Diretoria de Ensino da Região de Jacareí, Promotoria de Justiça da Infância e Juventude e Secretaria de Esportes, a Rede Protetiva visa auxiliar a vítima de violência sexual.

Caso uma pessoa tenha suspeita de violência sexual contra criança e adolescente, a denúncia pode ser feita no Conselho Tutelar (Rua Armando Salles de Oliveira, 55 ou pelo telefone 3954-9920), Guarda Municipal (disque 153), Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher (Rua Job Aires Dias, 201 ou pelo telefone 3951-5614) e Diretos Humanos (disque 100).

(Victor Copola/PMJ – Foto: Cristina Reis/PMJ)

Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons