Quais são os melhores alimentos para as mulheres grávidas?

Durante a gestação as mulheres precisam se atentar a várias situações. A alimentação é uma delas.

Algumas pessoas dizem que a futura mamãe precisa se alimentar por dois, porém, esta informação não é correta. Mãe e bebê compartilham nutrientes, mas uma alimentação balanceada, que inclua de tudo um pouco, já é suficiente para ambos.

O consumo de carne na gravidez, por exemplo, é recomendado, desde que não seja algo muito gorduroso. Assim como em outros momentos da vida, um prato “colorido”, como dizem os nutricionistas, garante que o bebê receba todos os nutrientes necessários durante a gestação e que a mulher não tenha um aumento de peso desnecessário.

Alguns alimentos, como os derivados de leite, as carnes e os cereais integrais, são muito importantes para a alimentação da gestante. Quer saber um pouco mais sobre o que consumir durante a gestação? Nós temos algumas dicas essenciais para você.

Leite e seus derivados

Os leites e seus derivados são alimentos ricos em vitaminas e em cálcio, nutrientes importantes para a mãe e para o bebê, principalmente para evitar, a longo prazo, a osteoporose.

É válido notar que não há restrição quanto ao tipo de leite, pode ser integral, semidesnatado ou desnatado. O melhor alimento fica a critério da gestante e, neste caso, é necessário verificar se ela tem alguma alergia à lactose.

O ideal é consumir até três copos de leite por dia, mas pode incluir também alguns derivados, como o iogurte e queijos – neste último, cuidado na escolha, o ideal é investir na ricota, no cream cheese, no cotagge, na mussarela, no cheddar e no parmesão.

Carnes

As carnes são essenciais para que a futura mamãe aumente o nível de ferro em seu sangue, principalmente no primeiro trimestre de gravidez. Ao ingerir carnes, de preferência as menos gordurosas, a gestante previne doenças do coração ou malformação do bebê.

Também é um alimento importante para prevenir a anemia, que, quando acontece durante a gestação, pode trazer problemas para o feto.

Cereais integrais

Outro alimento extremamente importante é o cereal integral. Seu consumo deve se intensificar principalmente no primeiro trimestre de gestação.

Além do ferro, as mamães precisam aumentar o consumo de ácido fólico, essencial para garantir a boa formação do bebê. Pães, massas e arroz, desde que integrais, são bastante indicados para este período.

Ovos

Vitaminas, minerais e proteínas: tudo isso é encontrado nos ovos, por isso, eles são liberados para fazerem parte da alimentação da gestante. Uma grande vantagem é que se trata de um alimento barato, que pode ser preparado de diversas formas- como, por exemplo, o ovo cozido ou mexido, omelete.

Até para quem pretende manter uma refeição mais leve, pode preparar uma salada que inclua ovos cozidos, tomate, alface e cenoura, por exemplo.

Feijão

Outra alternativa para uma alimentação rica em ferro é incluir o feijão como parte da alimentação. Inclusive, um delicioso prato de feijão com arroz e salada com ovo cozido, no almoço, já vai estar repleto de nutrientes.

Além do ferro, o feijão também é rico em cálcio, zinco, fibras e magnésio.

Couve e brócolis

Para as saladas, além da alface, é indicado incluir a couve e o brócolis como parte das refeições, principalmente do almoço. Assim como os cereais integrais, estes vegetais são ricos em ácido fólico.

Durante a gravidez, é recomendado que a mulher ingira ao menos 400 mcg de ácido fólico por dia. Como vários alimentos fornecem o nutriente, a dica é incluir um alimento que tenha o ácido fólico em cada refeição. No café da manhã o pão integral, no almoço couve ou brócolis, por exemplo.

Frutas

As frutas são liberadas para consumo e, especialmente durante a gravidez, elas  são muito importantes para o segundo trimestre. É importante que a mulher aposte nas frutas devido ao alto teor de vitamina C, que vai ajudar na formação da pele, cartilagens e vasos sanguíneos do bebê. Para a futura mamãe, fortalece o sistema imunológico.

O morango, a laranja, o abacaxi e a melancia são alguns exemplos.

Alimentos que devem ser evitados

Apesar de muitos alimentos serem liberados durante a gravidez, alguns não são recomendados e devem ser evitados. Ovos e peixes crus são um exemplo, pois podem estar contaminados por bactérias.

Os queijos não pasteurizados ou pastosos também devem ficar de fora da dieta até o bebê nascer, já que também podem conter bactérias perigosas, como a listeria – esta bactéria pode fazer com que a mulher sofra um aborto ou com que o bebê nasça prematuro.

O café e os alimentos que possuem cafeína não precisam ser retirados totalmente da dieta, porém, seu consumo deve ser reduzido ao mínimo. Estudos comprovam que a substância pode causar abortos, se consumida em excesso durante a gestação. O ideal é no máximo duas xícaras de café ou chá por dia.

Vários alimentos são importantes para o crescimento saudável do bebê durante a gestação. O principal é seguir todas as orientações do médico e investir em um prato colorido, mas não exagerado.