Projeto Rompendo Barreiras da UNITAU lança segundo balão meteorológico

Na última quarta-feira, dia 30, a o projeto de extensão Rompendo Barreiras, da Universidade de Taubaté (UNITAU), realizou o lançamento do segundo balão meteorológico. Desta vez, a atividade aconteceu na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EIMEF) Padre Silvino Vicente Kunz. O projeto conta com alunos dos cursos de Ciências Biológicas e de Engenharia Mecânica da UNITAU, além de estudantes da escola.

Experimentos em diferentes áreas

O balão foi lançado com o objetivo de executar testes nas áreas de Biologia e de Engenharia Mecânica. Para o experimento da turma de Ciências Biológicas da UNITAU, foi lançada junto com o balão uma cultura de bactéria e esporos bacterianos para testar a viabilidade dos microrganismos após a ação dos fenômenos atmosféricos como, radiação, pressão e temperatura.

Já o Departamento de Engenharia Mecânica ficou responsável pelo rastreamento do balão via satélite. Além disso, foram implantadas duas câmeras para recolher imagens do percurso que serão usadas para estudos.        

Balão meteorológico

Para confeccionar o balão, o Prof. Dr. Fernando Porto, do Departamento de Engenharia Mecânica da UNITAU e coordenador do projeto, contou com a ajuda dos alunos do Ensino Fundamental da escola Padre Silvino Vicente Kunz que ficaram responsáveis pelo paraquedas e o refletor de radar.

Planos para os próximos lançamentos

O professor Fernando Porto tem muitos planos para o projeto e um desses planos é inscrever o Rompendo Barreiras no campeonato mundial GSBC (Global Space Balloon Challenge), uma competição internacional, organizada pela Universidade de Stanford e pelo MIT (Massachussetts Institute of Technology). “Existem muitas categorias no campeonato e nós vamos tentar concorrer na categoria de projeto educacional”, diz o professor.

A próxima edição do projeto está prevista para abril do ano que vem na escola Escola Municipal de Ensino Fundamental Sargento Everton Vendramel de Castro Chagas, conhecida como Sítio 2, que também participou desta edição contribuindo com uma câmera e a estação meteorológica para coletar dados de temperatura, pressão e umidade. O objetivo dessa estação é comparar o comportamento da atmosfera em altitudes diferentes.

Por José Arnaut

ACOM/UNITAU

Fotos: Leonardo Oliveira/ACOM

 Universidade de Taubaté (UNITAU)