Programa Anjos da Guarda leva alegria e lições de vida a crianças

Desde que recebeu novo nome e passou por um processo de revalorização, em 2017, o programa Anjos da Guarda, mantido pela Guarda Civil Municipal de São José dos Campos, atingiu cerca de 18 mil crianças e adolescentes.

Coordenada pela inspetora GCM Roseli de Souza, a equipe formada pelos GCM classe distinta De Carvalho e primeira classe Edneide, Silas e Gregatti, dedica-se integralmente ao programa. “Para trabalhar no Anjos da Guarda é preciso, em primeiro lugar, gostar muito de crianças”, diz a inspetora.

O público-alvo é formado pelos estudantes de todas as escolas municipais de ensino fundamental e médio do município. Também chega à rede de IMIs (Institutos Materno-Infantis), Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil) e Cecois (Centros Comunitários de Convivência Infantil).

Além da Educação e Cidadania, o programa também atende outras secretarias da Prefeitura. Na Secretaria de Esportes e Qualidade de Vida, integra eventos como o Conexão Juventude e o Festival de Pipas, falando sobre os riscos da linha de cerol e os cuidados que se deve ter para uma brincadeira segura.

Na Secretaria de Apoio Social ao Cidadão, atinge as Casas do Idoso, abordando segurança e cuidados em geral. Também chega aos eventos da Secretaria de Mobilidade Urbana, à Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza) e à FCCR (Fundação Cultural Cassiano Ricardo), dialogando sobre a prevenção ao uso de drogas ilícitas.

Conteúdo

O Anjos da Guarda é um aperfeiçoamento do programa Escola Segura, criado na GCM no ano de 2013. Tudo começou com palestras sobre segurança, com o objetivo de mostrar que o guarda é uma pessoa amiga, que tem o objetivo de proteger a população.

Após a revalorização do programa, ocorrida em 2017, o programa passou a promover o diálogo no ambiente escolar sobre valores, solidariedade, respeito mútuo, regimento escolar, Estatuto da Criança e do Adolescente, entre outros temas. Tudo é feito usando uma linguagem apropriada para cada tipo de público.

“A meta é transformar a realidade e promover o respeito à vida, às autoridades e acreditar em um futuro melhor para a comunidade como um todo”, explica Roseli.

Fantoches

Enquanto para o público adolescente são usadas palestras e outras formas de comunicação, com as crianças o recurso empregado é o teatro de fantoches. Elas adoram. “A ideia é transmitir as mensagens de forma didática e lúdica ao mesmo tempo”, observa a coordenadora do programa.

São vários bonecos, manipulados e ganhando voz através dos guardas municipais que integram o programa. Entre os personagens destacam-se a vovó Irene, o menino Juquinha, Júlio, um menino que veio do interior, o Comandante, entre outros. Mas o boneco que faz mais sucesso é Bart Júnior, baseado no personagem da série Os Simpsons. Este Bart, porém, é diferente do que estrela a série, pois é bom, amigo e estudioso.

Doações

Através do Anjos da Guarda também são atendidas instituições beneficentes, com a doação de alimentos não-perecíveis, produtos de higiene, brinquedos, roupas, calçados e agasalhos. Calcula-se que já foram arrecadadas 5 toneladas de alimentos, 7 mil peças de vestuário e 3 mil brinquedos.

A inspetora Roseli estima que, desde 2013, o programa atingiu cerca de 100 mil pessoas, entre crianças, professores e outros membros da comunidade.

Vivendo emoções

O GCM primeira classe Marcio Luiz Gregatti, 47 anos, participa do programa desde o início, tendo sido um de seus idealizadores. Ele explica o que levou à criação do Escola Segura, depois transformado em Anjos da Guarda: “Percebemos que dentro do ambiente escolar havia muitos conflitos, violência e ausência de valores e princípios familiares”, conta. “Por isso trabalhamos com base no tripé família, escola e autoridade, esta última representada pela GCM. A ideia foi unir as três instituições em busca do desenvolvimento da cidadania.”

Gregatti sente que participou do nascimento de uma ideia vitoriosa. “Hoje me sinto realizado porque participei do grupo que viu essa necessidade lá atrás. A ideia deu certo”, ressalta. “Adaptamos o trabalho para cada público atingido. Criamos o teatro de fantoches para os bebês e as crianças e, para os adolescentes, desenvolvemos palestras.”

O GCM traz lembranças fortes de alguns momentos passados no Anjos da Guarda. “Lembro de um garoto com histórico de vulnerabilidade por violência. Foi emocionante encontrar com ele, tempos depois, junto dos pais. O menino, que tinha temperamento violento, estava mudado. Até fez questão de tirar uma foto comigo”, relata.

Outra emoção forte vivida por Gregatti ocorreu em outubro do ano passado, quando esteve no Hospital Municipal para participar da doação de brinquedos para crianças internadas. Em 2015, no dia de uma doação para o Gacc (Grupo de Apoio à Criança com Câncer), fez questão de raspar a cabeça em apoio às crianças.

Gregatti, que também atua como professor universitário em gestão de RH e segurança pública, é um apaixonado pelo trabalho com as crianças e adolescentes. “O Anjos da Guarda quebrou o paradigma de que a farda é violenta. Mostra que ela contribui para a proteção da sociedade”, defende.

Vencendo a timidez

João Batista de Carvalho, GCM classe distinta, está há 18 anos na corporação e há seis no Anjos da Guarda. Seu trabalho é manusear bonecos e fazer suas vozes. Para ele, participar do programa é uma satisfação muito grande e uma oportunidade de desenvolvimento profissional. “Além disso, eu era tímido, não conseguia falar em público e o programa me ajudou a vencer a timidez”, destaca.

Seu personagem preferido é Júlio. “Ele é um menino humilde, que veio da roça e tem muitas coisas que precisa aprender. O importante é que está disposto a aprender”, explica.

O trabalho de De Carvalho no programa começou com rondas escolares. Depois vieram as palestras e o teatro de fantoches. Aos 47 anos, ele tem dois filhos que estudam em escolas municipais e sente-se orgulhoso pelo fato de ambos terem visto seu trabalho com os fantoches. “Foi uma experiência muito gostosa.”

Outra satisfação do GCM é o fato de, depois de levar as mensagens para os estudantes, quando retorna à escola ele ouve relatos de diretores e professores falando da transformação promovida pelo programa. “A mensagem do Anjos da Guarda é muito bem-recebida”, conclui.

Como receber

Para solicitar uma apresentação do Anjos da Guarda é preciso enviar ofício à sede da Guarda Civil Municipal. O pedido será avaliado e, se estiver dentro do público-alvo do programa, será agendada uma apresentação.

Foto: PMSJC

Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons