Profissionais destacam a importância da formação e capacitação da Fundhas

Há 31 anos realizando sonhos de crianças, adolescentes e suas respectivas famílias, a Fundhas (Fundação Hélio Augusto  de Souza) já proporcionou a inserção de milhares de pessoas no mercado de trabalho. Entre elas, estão o professor Carlos Eduardo Arcanjo e o gerente comercial Edson Luiz Neves, ambos de 37 anos, e que hoje ocupam posição de destaque.

Carlos Eduardo e Edson participaram da exposição em comemoração dos 30 anos da instituição e, na ocasião, eles serviram como inspiração e motivação aos alunos adolescentes que também sonham um dia poder ter uma profissão que lhes traga satisfação pessoal e recompensa material.

Dentro da própria Fundhas, na equipe da Divisão Especializada em Criança e Adolescente (Deca), Carlos Eduardo ocupa o cargo de coordenador. A instituição fez parte de seu currículo no período de 1996 e 2000, quando foi aluno. Por isso, o professor e administrador destaca a importância da fundação em sua vida. Ele fez parte do Projeto Auxiliar de Classe, trabalhando em uma escola de educação infantil no Jardim Morumbi, na região sul. Em seguida, trabalhou como auxiliar administrativo no DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), na Divisão de Engenharia, e, por último, participou do Projeto Bolsa de Estudos com a formação técnica em Administração.

Carlos ressaltou a influência da Fundhas como fator transformador, já que passou por momentos muito difíceis em sua vida. “A fundação desperta o melhor de cada pessoa, como ela pode contribuir, reforçando positivamente cada indivíduo e o seu papel na sociedade”, disse.

Em 2002, Carlos passou no concurso para professor da Fundhas. Para ele, a acolhida dos profissionais foi o grande diferencial. “Esse foi um grande momento de reflexão e de aprendizado que influenciou a minha prática como professor”. O professor reforça que “os jovens da instituição podem e devem sonhar, pois são os sonhos, com o apoio dos profissionais, se transformam em realidades”.

Outro exemplo de sucesso é Edson Luiz Neves, casado há 14 anos com Carolina de Oliveira Neves, pai de três filhos: Maria Eduarda, 14 anos, João Daniel, 11 anos, e Ana Letícia, 2 anos. “Hoje, olho para trás e vejo como a Fundhas foi importante em minha trajetória. Aprendi a ter responsabilidade, disciplina, paciência, a conviver e aceitar as diferenças de cada um. Com o tempo, fui conquistando meu espaço na vida profissional”, afirmou.

Órfão aos 7 anos, Edson entrou para a Fundhas em 1992, aos 11 anos, junto com a irmã Elaine. No início, foi trabalhar no programa chamado Horta, onde as crianças cuidavam da plantação de legumes e verduras. Depois foi para o Pelotão Mirim, onde participou de um treinamento de seis meses para atuar como guarda mirim.

Edson conta que, quando completou 13 anos, foi colocado no projeto Direito de Ser Criança, onde misturavam crianças de 7 a 13 anos. Ficou fora da instituição por quatro meses e não queria voltar mais. Arrumou um serviço numa funilaria, mas uma assistente social da Fundhas o procurou para que retornasse à instituição e ele acabou voltando. Ao completar 14 anos, foi para um novo projeto chamado Fase Intermediária, onde assistiu muitas palestras e conheceu várias empresas da região, como a Petrobras, Tecelagem Parahyba, entre outras.

Foi um período de cerca de 6 meses e, ao final deste curso, iniciou uma nova fase quando foi trabalhar no antigo Fame (Fundo de Assistência Médica), órgão da Prefeitura, com seu primeiro registro em carteira, tendo assegurado seus direitos trabalhistas.

Em 1997, quando tinha 15 anos de idade, conseguiu uma vaga para trabalhar no escritório do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), em São José dos Campos, tendo sido escolhido entre outros 9 candidatos. A partir dai, ele foi crescendo dentro da empresa chegando a gerente comercial, respondendo por toda região RM Vale, Serra da Mantiqueira e Região Bragantina.

“Tudo na vida tem um início e na vida profissional também é assim. A minha história começou aqui na Fundhas em 1992. Agradeço a todos que passaram pela minha vida, pois construi meu caráter, aprendi a conviver e a vivenciar as situações do cotidiano, aprendi a não dar importância para coisas ruins e absorver somente as coisas boas, a ter disciplina e responsabilidade. Se você está aqui é porque se propôs, então faça sempre seu melhor, sempre com boas atitudes, honestidade e transparência em seus atos, sempre fiz isso em minha vida, sem almejar nada em troca. Todos têm o seu valor e tenha certeza que se você fizer sempre o seu melhor alguém lhe enxergará e oportunidades surgirão”, afirmou Edson.

O professor e o gerente comercial não são casos isolados. Vários ex-alunos da Fundhas se destacam pela atuação em diversos setores do mercado de trabalho, como servidores públicos, modelo, comunicadores, empresários e até comissários de bordo. Atualmente, a instituição atende mais de 3 mil pessoas e, ao longo dos 31 anos de atuação, mais de 30 mil pessoas tiveram essas mesmas oportunidades.

A Fundhas foi essencial na capacitação e formação de Carlos (direita) e Edson (esquerda), que hoje se destacam no mercado de trabalho – Foto: Divulgação