Primeiros sinais de que o seu cão está ficando idoso

Alterações em pelos, unhas e pele, prisões de ventre, mobilidade reduzida e problemas dentários são alguns dos sinais mais marcantes do envelhecimento canino

Assim como os humanos, os animais também envelhecem e, ao longo do tempo, costumam apresentar limitações físicas, decorrentes desse processo. Reconhecer sinais de velhice é fundamental para prevenir possíveis problemas de saúde e fornecer um tratamento adequado para cada um deles.

O tempo médio de envelhecimento está diretamente relacionado a cada espécie. No caso dos cachorros, enquanto aqueles de maior porte envelhecem mais cedo, como ocorre com o Golden Retriever, a partir dos 6 anos, as raças menores podem ter mais longevidade, como o Chihuahua, que pode chegar a viver por quase 20 anos.

Se você não está com as idas ao veterinário em dia e tem dúvida sobre o seu cão estar desenvolvendo problemas de saúde decorrentes do envelhecimento, veja alguns sinais de que essa fase da vida pode ter chegado para ele.

Mobilidade reduzida

Um indício de que o seu cão está ficando velho é a dificuldade de locomoção. Isso acontece, pois, ele também perde massa muscular com o passar do tempo, e os músculos deixam de ter tonicidade, o que torna os movimentos mais lentos e reduzidos.

Por isso, além de ir ao veterinário para verificar se existe alguma lesão grave, procure sair para caminhar com o seu cachorro, a fim de impedi-lo de cair em um ciclo vicioso de sedentarismo, que acaba intensificando o problema. Um bom método é realizar caminhadas mais leves e curtas, porém mais frequentes do que antes.

Calos e unhas quebradiças

Ao se exercitarem menos, os cães também começam a apresentar o espessamento das almofadas de suas patas, que ficam mais frágeis. Esse menor deslocamento cotidiano ainda provoca o ressecamento de unhas, que ficam mais quebradiças.

Nessa fase, ocorre o surgimento de calos, especialmente, nos cotovelos, decorrente da falta de exercícios físicos. Isso é mais comum de ocorrer em cães de maior porte, sendo recomendado que o animal permaneça em uma cama ortopédica, mais macia, com almofadas. Também é válido passar óleos próprios para cachorros idosos nas regiões afetadas.

Mudança nos pelos e na pele

Durante toda a vida, os pelos são uma parte importante do organismo dos cachorros. Além de proteger e lubrificar a pele, eles são uma das estruturas responsáveis por manter a temperatura corporal constante, sem sobrecarregar o metabolismo.

Assim como ocorre com os humanos, cachorros idosos também adquirem pelos brancos, em especial, em torno dos olhos e do focinho. Outras mudanças é que os fios se tornam cada vez mais finos e sem brilho. Fique atento, pois, essa opacidade pode indicar falta de nutrientes na alimentação do animal.

A pele é outra estrutura do corpo desses animais que sofre transformações: ela fica menos elástica, mais sensível e fina. Na velhice, é comum que alguns cães desenvolvam verrugas, o que precisa de acompanhamento profissional para verificar se oferecem riscos à saúde do animal.

Problemas dentários e intestinais

Um dos primeiros sinais de que o seu cachorro está envelhecendo é o aparecimento de doenças dentárias, problema que pode se tornar mais frequente a partir dos três anos.

Alguns sintomas de problemas dentários em cães são: gengivas vermelhas ou sangrando, perda de dentes, mau hálito, manchas dentárias, caroços ou inchaços na boca, presença de sangue na saliva ou nos brinquedos que ele morde, dificuldade de pegar comida e mastigação feita com um só lado da boca.

Além disso, na velhice, os cães têm prisão de ventre, que é causada pela redução da velocidade de digestão em seu aparelho digestivo. Nesse caso, consulte um veterinário para estabelecer uma dieta mais rica em fibras e água.

Dificuldade cardíaca e pulmonar

Como ocorre com humanos, o envelhecimento também torna problemas cardíacos mais frequentes em cachorros. Com o passar do tempo, o coração canino perde elasticidade, o que reduz a quantidade de sangue bombeada para todo o organismo.

Outro órgão que perde elasticidade são os pulmões, o que também reduz a sua capacidade de oxigenar o sangue. Um dos sinais de que seu cão pode estar com problemas cardiorrespiratórios é aspecto físico cansado e ofegante com pouco esforço. Se isso ocorrer, procure ajuda profissional.

Instagram