Primeira assembleia na Revap rejeita proposta rebaixada da Petrobrás para ACT

Os petroleiros do grupo 1 e do H.A., da Revap (Refinaria Henrique Lage), rejeitaram, em assembleia nesta terça-feira (13), a proposta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da Petrobrás, que mantém a retirada de direitos e o reajuste salarial abaixo da inflação. A rodada de assembleias organizadas pelo Sindipetro-SJC segue até o dia 19. (veja calendário abaixo)

Com 230 votos contra, 81 a favor e 19 abstenções, os petroleiros deixaram claro que não vão aceitar banco de horas, rebaixamento do valor da hora extra, aumento da cobrança da AMS, reajuste salarial de apenas 70% da inflação e licença para demissão em massa. Esta é a terceira contraproposta de ACT apresentada pela Petrobrás em negociação com as federações e sindicatos e não apresenta avanços em relação às anteriores.

Assédio
A rejeição aconteceu apesar de todo assédio praticado pela Petrobrás, que pressionou os trabalhadores e mobilizou gerentes e coordenadores para votarem a favor da proposta na assembleia. O mesmo resultado está sendo reproduzido em votações em outras unidades da Petrobrás.

Sindipetro-SJC

A negativa do Acordo aponta para a construção de uma Greve Nacional Petroleira que pressione a Petrobrás a avançar na proposta. O próximo passo na construção desta mobilização é o Seminário de Qualificação de Greve, realizado pelo Sindipetro-SJC neste sábado (17), das 9h às 13h, na sede da entidade (Rua das Azaleias, 57, Jardim Motorama).

“Os petroleiros deram um importante recado para Castello Branco e o governo Bolsonaro: não vamos aceitar rebaixamento de direitos e o desmonte do sistema Petrobrás. Se a empresa não avançar na proposta, os petroleiros vão cruzar os braços”, afirma o presidente do Sindipetro-SJC, Rafael Prado.

Calendário de assembleias

  • Grupo 2 – 13/8
  • Grupo 4 – 15/8
  • Transpetro e Grupo 5 – 16/8 
  • Seminário de Greve – 17/8, 9h, sde do Sindicato
  • Grupo 3 – 19/08 

Foto: Divulgação