UIT quer acelerar estudos sobre gerenciamento de cidades inteligentes

 

Foto: Banco Mundial/Jerry Kurniawan

Foto: Banco Mundial/Jerry Kurniawan

 

A tecnologia de informação é chave para uma governança competente, segundo a União Internacional de Telecomunicações, UIT.

Desde o fim do mês passado, a agência da ONU está investindo num estudo sobre o gerenciamento de cidades inteligentes.

Padronização

A pesquisa é realizada por um grupo de trabalho que busca identificar como o gerenciamento de dados pode ser beneficiado pela padronização da UIT.

Al Marzouqi, que preside o grupo, afirmou que o gerenciamento eficiente de dados ajudará a melhorar a sustentabilidade dos serviços públicos.

Em entrevista à ONU News, em Nova Iorque, sobre o tema, o conselheiro-sênior da Divisão de Administração Pública das Nações Unidas no Departamento Econômico e Social, Jonas Rabinovitch, afirmou que o investimento na tecnologia tem de ser acompanhado por um planejamento estratégico.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

“Existe muitas cidades que se autotitulam inteligentes e o que acontece na prática é que muitas cidades se apressam a comprar tecnologia, se apressam em comprar hardware, software, achando que um pedaço de hardware ou que um soft de última linha vai automaticamente resolver todos os problemas da cidade.”

De acordo com Rabinovitch, é preciso planejar bem a implementação de uma cidade inteligente com a uma infraestrutura que leve em consideração, principalmente, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

África

“A tecnologia pode ajudar, por exemplo, o primeiro objetivo com relação à pobreza. Existe a possibilidade de se utilizar telefones celulares para publicar bolsas de emprego. As pessoas podem descobrir quais empregos estão disponíveis usando o seu celular. Ou a questão do Objetivo número 2 que seria a fome a alimentação. Existem países na África que utilizam telefones celulares para fazerem pagamentos no meio rural.”

Rabinovitch informou ainda que cerca de 70% da população das áreas rurais têm celulares, mas apenas 40% possuem uma conta bancária.

De acordo com a UIT, a integração das tecnologias de informação e comunicação em sistemas urbanos deverá mapear o sistema no mundo virtual. Com isso, a agência pretende melhorar a compreensão sobre como os ecossistemas complexos das cidades se comportam.

A agência também espera que os avanços na coleta e análise de dados levem a novas oportunidades de desenvolvimento sustentável.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *