Polícia Científica de São Paulo comemora 21 anos

Referência na América Latina, a SPTC de São Paulo produz uma média de 1,2 milhão de laudos e analisa mais de três milhões de peças por ano

A Superintendência da Polícia Técnico-Científica (SPTC) do Estado de São Paulo comemora 21 anos de existência neste sábado (9). Criada oficialmente em 1998, a instituição de perícias é uma das maiores da América Latina com uma produção média anual de 1,2 milhão de laudos e análise de mais de três milhões de peças.

Além de prestar um serviço extremamente relevante aos paulistas, recentemente, a instituição também provou sua importância à nível nacional com o envio de profissionais para auxiliar nas buscas e na identificação de vítimas da tragédia em Brumadinho (MG).

“A SPTC realiza um trabalho silencioso, mas muito relevante ao Estado, auxiliando as polícias, Ministério Público, Poder Judiciário, e também o país. Atendemos todas as cidades, de norte a sul e de leste a oeste, pois temos núcleos, equipes e laboratórios de perícias de excelente nível distribuídos por todo o Estado. Apesar de nova, nossa instituição possui dois institutos praticamente centenários e com muito orgulho apresentamos grandes números de produtividade”, destacou o superintendente da instituição, o perito Maurício Rodrigues Costa.

Subordinada à Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Científica trabalha em conjunto com as polícias Civil e Militar, sendo responsável pela coordenação dos trabalhos do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal (IML), em todo o Estado, editando normas, ações conjuntas e implementando políticas de atendimento à população.

Institutos de Criminalística e Médico Legal

O Instituto de Criminalística (IC) foi criado em 30 de dezembro de 1924. Tem por atribuição auxiliar a Justiça, fornecendo provas técnicas acerca de locais, materiais, objetos, instrumentos e pessoas, para a instrução de processos criminais.

O Instituto Médico Legal (IML), por sua vez, é o órgão mais antigo da polícia de São Paulo com 132 anos de existência. O instituto foi criado em abril de 1886 e é responsável pela realização de necropsias – exame do indivíduo após sua morte, e também exames em vítimas de acidentes de trânsito e de trabalho, agressões, entre outros.

Estrutura e Produtividade 

A Polícia Científica é composta por 185 unidades, com núcleos no interior do Estado e na Capital e Grande São Paulo. Atualmente, o órgão conta com 3.271 profissionais, entre peritos criminais, médicos legistas, fotógrafos e desenhistas técnico periciais, auxiliares de necropsia e atendentes de necrotério, além de servidores da área administrativa.

Só no primeiro mês de 2019, a SPTC atendeu 6.646 locais, periciou 2.787 toneladas de drogas sólidas e 335 litros de entorpecentes líquidos, além de analisar 47.299 peças, emitir 35.962 laudos pelo IC e 32.782 pelo IML. No período, o órgão também realizou 2.847 necropsias e 29.941 exames clínicos.

Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública SP
Crédito: Chello Fotógrafo
Gostou, Compartilhe!
Show Buttons
Hide Buttons