Pioneiro na região, Caraguatatuba implanta Serviço de Acolhimento em República para Jovens

A Prefeitura de Caraguatatuba implantou nesta quarta-feira (14/11), a primeira República do Litoral Norte e Vale do Paraíba, destinada a acolher jovens de 18 a 21 anos de idade, exclusivamente da Casa de Acolhimento, como extensão do Sistema de Garantia de Direitos.

Inicialmente, foi entregue a casa para atender o público feminino. Um espaço completo, com três quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, além de todo o mobiliário. Tem capacidade para atender seis jovens com foco na inclusão social, emancipação e o exercício da cidadania.

A previsão é que, no início do próximo ano, seja implantada a casa na modalidade masculina, também no mesmo padrão.

#PraCegoVer: em um quarto, sofá-cama verde de madeira e almofadas coloridas, tapete marrom, cômoda de madeira ao fundo e quadro na parede.(Foto: Cláudio Gomes/PMC)

O secretário de Desenvolvimento Social e Cidadania, Jonas Fontes destacou “É uma satisfação ofertar mais um serviço que só a população tem a ganhar e conto com o apoio de toda equipe técnica da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania (Sedesc), para garantir o fortalecimento destes jovens.

Presente na visita do espaço, o prefeito Aguilar Junior, ofereceu todo o apoio aos jovens nesta nova fase de amadurecimento. “O que o Poder Público puder fazer para ajudar, vai fazer, conte com a gente”.

“É um serviço essencial que não podia mais ser adiado. É mais uma urgência, que o município implanta, visando sempre o melhor à população. Nosso objetivo é que os jovens levem da casa referências positivas. Que um dia o município foi capaz de acolhê-los e como foi importante este trabalho”, destacou Aguilar Junior.

Também esteve no local, o juiz de direito da 3ª Vara Cível de Caraguatatuba, Gilberto Alaby Soubihe Filho; a promotora da Vara da Infância e Juventude de Caraguatatuba, Dra Regiane Maria Heil Portes; a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Cintia Alves; e a coordenadora da Proteção Especial da Sedesc, Ana Maria Magagnini.

O serviço

O tempo de permanência é de até três anos, visando gradual autonomia e independência dos moradores. Para isto, semanalmente os jovens receberão atendimento com assistente social e psicólogo.

O serviço irá preparar os atendidos em como conviver numa gestão coletiva e na construção de regras de convívio, definir a forma de participação nas atividades domésticas cotidianas e gerenciamento de despesas.

O equipamento será subsidiado pela Prefeitura de Caraguatatuba, com manutenção, alimentação, locação do imóvel e instalações, além da contratação dos profissionais. A gestão do projeto será feita pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania.