Os piores brasileiros da história da Premier League

A Premier League é notoriamente uma liga difícil. Muitos bons jogadores chegaram à primeira divisão inglesa e lutaram para se adaptar ao seu estilo único de futebol. Claro, há um bom número de brasileiros que brilharam na Inglaterra, principalmente nos últimos tempos. Mas também há alguns que não conseguiram se firmar na Premier League. Se olharmos de um ponto de vista em uma aposta mais esportiva, quando estes jogadores estavam em campo, as respectivas equipes eram muito menos cogitadas nas casas de apostas. Então, sem mais delongas, vamos dar uma olhada em alguns dos piores brasileiros da história da Premier League.

Jô – Manchester City e Everton

Com 30 gols em 53 partidas pelo CSKA Moscou, não foi surpresa que o Manchester City desembolsou US$ 19 milhões para ter Jô. No entanto, ele não conseguiu se estabelecer no Estádio Etihad. O atacante fez apenas nove jogos pelo Man City na primeira metade da temporada 2008/09 da Premier League e passou a segunda metade da temporada emprestado ao Everton. Com um retorno de cinco gols em 12 jogos, os Toffees decidiram prorrogar o empréstimo de Jô por toda a temporada seguinte. Mas ele não conseguiu marcar em 15 partidas e, após uma desavença com o técnico David Moyes, foi mandado de volta para o Manchester City no meio da temporada e passou a última metade da temporada emprestado ao Galatasaray. Jô passou a temporada 2010/11 em Manchester, mas sem gols nos 12 jogos do campeonato, foi vendido ao Internacional no final da temporada.

Roque Júnior – Leeds United

Ao assistir Roque Júnior no Leeds United, era difícil acreditar que ele era o orgulhoso dono de um título de Copa do Mundo. O zagueiro foi emprestado ao Leeds pelo Milan em 2003. Um cartão vermelho na estreia frente ao Birmingham City estava longe de ser um início ideal na Inglaterra. E suas performances nunca melhoraram. Ele sofreu 24 gols em apenas sete partidas pelo Leeds, e nem mesmo um gol contra o rival do Leeds, o Manchester United, na Copa da Liga, foi suficiente para conquistar os apaixonados torcedores de Yorkshire.

Jardel – Bolton Wanderers

Jardel foi uma máquina de gols na Europa. Marcou mais de 183 gols pelo Porto e pelo Sporting de Lisboa em apenas 174 jogos, e foi verdadeiramente entusiasmante quando foi revelado pelo Bolton Wanderers em 2003. As lesões já afetavam o ‘Super Mário’ quando foi contratado por Sam Allardyce, pois ele estava visivelmente fora de forma. Nem um único gol foi marcado por Jardel na Premier League e ele fez apenas sete jogos antes de ser emprestado ao Ancona e, posteriormente, vendido ao Newell’s Old Boys apenas um ano depois.

Kléberson – Manchester United

Kléberson foi chamado de o ‘motorzinho’ da seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002, do técnico Luis Filipe Scolari, e de repente toda a Europa se interessou pelo meio-campista. Foi o Manchester United quem o fisgou, e temos certeza de que Sir Alex Ferguson ainda se arrepende disso até hoje. Lesões prejudicaram seu período em Old Trafford e ele fez apenas 20 jogos em dois anos pelo Red Devils antes de ser vendido ao Beşiktaş.

Instagram