Os desafios na educação em tempos de alta tecnologia

A educação nunca teve que lidar com tanta evolução tecnológica em tão pouco tempo.

Com a evolução dos casos de Covid-19 e o distanciamento social, veio a necessidade de dar continuidade aos estudos, desde o ensino fundamental até o ensino superior, as escolas e faculdades, se viram numa exigência repentina da adoção de novas tecnologias em suas atividades cotidianas.

Segundo o artigo “TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE QUARENTENA”

 Numa entrevista com o professor Aleandro Ribeiro Lima, ele verbaliza essa discussão dizendo. “Por ser responsável pela difusão de conhecimento a públicos de todas as idades, este ramo talvez seja o que mais tenha  inserido  a  tecnologia na rotina  diária das  pessoas.”

A grande dificuldade se dá pela falta de uso das ferramentas virtuais no ensino por parte dos professores e alunos. 

A tecnologia avançou muito e o acesso a notebooks, tablets e celulares por parte das crianças e adolescente já acontecia, de forma muito natural. 

Mas grande parte dos professores muito acostumados com  o quadro negro e giz, ainda não sabiam como utilizar essas ferramentas virtuais como o sistema AVA –  Ambiente virtual de aprendizagem – e formulários digitais. 

E para que a educação não pare, mesmo com o distanciamento social, foi necessária uma mudança drástica nas formas de ensino de crianças e adultos, com as aulas virtuais.

O crescimento de plataformas de reunião online nunca se viu tão próspero. 

Segundo pesquisas uma plataforma de videoconferências, já super conhecida mundialmente como a Zoom, tinha antes da pandemia, 10 milhões de usuários, números de dezembro 2019,  e passou a ter mais de 300 milhões de usuários, hoje.

As ferramentas para as aulas online ou videoconferências são muito intuitivas, para quem já tem alguma familiaridade com tecnologias, mas aqueles que as desconhecem podem ter alguma dificuldade nas primeiras reuniões. 

Por tal motivo uma das profissões mais antigas do mundo, se vê com a grande necessidade de renovação e inserção a tecnologia.

Os cursos de formação para professores, com certeza vão aumentar na matriz curricular o número de horas dedicadas as matérias ligadas a  tecnologia na educação. Devido, a mudança nos desafios do cotidiano do professor.

E os alunos, como encaram este desafio?

Por outro lado, temos os alunos em suas casas com todas as distrações possíveis se obrigando a aprenderem sozinhos, sem auxílio presencial, suas matérias de vestibular, faculdades e muitas das vezes  sendo alfabetizados pelos pais. 

É necessária muita rotina e persistência por parte dos alunos e dos pais. Nunca foi tão exigido do aluno a necessidade da característica autodidata, como são chamados aqueles, que tem a capacidade de aprender sem um professor.

Característica essa, essencial, para vencer esse desafio que tem sido o ano letivo de 2020.

Junto a rotina de seus pais, estão os alunos em fase de alfabetização, estes sim necessitam de uma atenção a mais, para que não sofram as consequências no próximo ano letivo. Em meio as reuniões de trabalho, seus pais devem se dividir nas aulas home office. 

Um ano totalmente atípico, desafiador e de constante evolução. Evolução que acontece na tecnologia, na educação, nas formas de ensino e na forma de olhar o novo através de uma tela.

Foto de Julia M Cameron no Pexels

Instagram