Oficina de primeiros socorros orienta alunos de escola de São José dos Campos

Estudantes da Escola Estadual Professora Geraldina Coelho Monteiro, de São José dos Campos, participaram de uma atividade da Cruz Vermelha, em 26 de outubro, em um projeto que promove uma oficina sobre primeiros socorros básicos, direcionada ao cotidiano da unidade de ensino.

Cruz Vermelha

O Projeto Piloto da Cruz Vermelha é comandado por voluntários que vão até as escolas e oferecem oficinas didáticas sobre primeiros socorros para alunos de todas as idades, assim como professores, funcionários e diretores da escola.

“Eles tiveram noções básicas de primeiros socorros. Situações básicas mesmo, sobre como identificar possíveis riscos no dia a dia e que precisamos ter o conhecimento de como reagir”, enfatiza Sandra Serba, vice-diretora da unidade.

Um dos pontos principais da oficina foi a conscientização de que a iniciativa coletiva é fundamental para que situações de risco possam ser controladas, resultado até em vidas salvas pelo rápido atendimento. “Não podemos ficar apenas esperando a ambulância chegar”, destaca Eduardo Costa, secretário-geral da Cruz Vermelha.

“É importante difundir esses ensinamentos nas escolas, para que se chegue até a casa das pessoas e todos fiquem sabendo sobre como agir quando alguém passar mal”, completa.

Exercícios

A oficina foi dividida em duas etapas: a primeira, teórica, teve foco nos sintomas de doenças como infarto, AVC e queimaduras, seguida de uma etapa prática. Todos os alunos presentes tiveram a oportunidade de realizar exercícios de reanimação, massagem cardíaca, respiração boca a boca e outros procedimentos básicos de primeiros socorros.

Foi a primeira vez de muitos estudantes e docentes com os conteúdos de socorros básicos. Para Alana Kelly, de 15 anos, a aula teve um significado ainda maior. “Tenho um irmão especial de vinte e um anos e às vezes ele se sente sufocado quando dou comida para ele. Foi importante ter vindo aqui porque me sinto muito mais capaz de ajudá-lo e cuidar dele”, explica.

A atividade de primeiros socorros também foi tema entre os pais e toda a comunidade escolar. Muitos compareceram até a escola, participaram das atividades práticas e saíram mais capacitados para ajudar quem estiver mais próximo. “Temos que incentivar os filhos e a todos a ajudar. Por isso, é importante estar aqui para saber como proceder se alguém desmaiar ou passar mal. Empatia é fundamental”, avalia Everlandia Bandeira, uma das mães dos estudantes presentes.

Foto: Divulgação/Secretaria da Educação