Novo Corolla aumenta base de fornecedores da Toyota no Brasil

Apesar de ser construído sobre uma plataforma completamente nova e mais sofisticada, a TNGA (Toyota New Global Architecture), o novo Corolla que começou a ser produzido na fábrica de Indaiatuba, no interior Paulista, nasce com um robusto índice de nacionalização na casa dos 70% – e de 60% na versão híbrida, que tem maior número de componentes importados. Na prática, o carro aumenta a base de suprimentos da Toyota no Brasil, porque agrega mais de 1,3 mil peças, número 16% maior do que na geração do sedã que vinha sendo feita aqui até o meio deste ano. Ao todo, 116 fornecedores locais participam do projeto, 15 deles novos.

O Corolla 2020 oficialmente lançado esta semana carrega apenas 25% dos componentes utilizados na versão anterior. São 93 fornecedores de peças, seis deles localizados no cinturão que se instalou ao lado da fábrica de Sorocaba (SP), que fornecem para a produção das linhas Etios e Yaris e também enviam componentes para Indaiatuba, distante cerca de 100 km. O novo sedã também tem outros 23 fornecedores de insumos (como tintas e aços) e de acessórios especialmente desenvolvidos para o carro.

A grande maioria deles passou por um minucioso processo de desenvolvimento que levou dois anos para ser concluído pelo Supplier Parts Team Tracking da Toyota, em um processo de cinco etapas que começa no desenho da peça e da ferramentaria para produzi-la, passando para a confecção de amostras, partes pré-série e culminando no início da produção seriada.

Tudo passou pela equipe de 95 engenheiros no Brasil. No caso do novo Corolla, a Toyota contabiliza que o time dedicado ao desenvolvimento de fornecedores participou do projeto de 1.302 peças, fez 12 mil ensaios de confirmação e visitou os fabricantes 458 vezes, em interações diretas que determinaram como cada componente deve ser produzido para evitar perdas por erros. Ao todo, a engenharia nacional da montadora dedicou 105 mil horas ao novo sedã, que rodou mais de 100 mil quilômetros em testes no País. Apesar da maratona, Celso Simomura, vice-presidente de compras da Toyota América Latina, avalia que desta vez o processo foi mais fluído.

“Não aconteceram as mesmas dificuldades de antes, porque houve um amadurecimento dos fornecedores, que estão melhor preparados para nos atender”, diz Celso Simomura.

NOVAS TECNOLOGIAS

Um dos fatores que colaborou para a rápida elevação dos índices de nacionalização do novo Corolla foi o início da produção em Porto Feliz (SP) do motor 2.0 com injeção direta de combustível (etanol ou gasolina), com valentes 177 cavalos de potência, que vai equipar a maioria das versões do sedã. A fábrica, localizada entre as plantas da Toyota em Indaiatuba e Sorocaba, recebeu investimentos de R$ 600 milhões e dobrou seu tamanho para produzir o propulsor em uma nova linha – ao lado da que desde 2016 já fazia os modelos 1.3 e 1.5 usados por Etios e Yaris. Para fazer aqui o motor 2.0, foram agregados ao projeto 12 novos fornecedores locais.

Além de mais fornecedores, o Corolla TNGA também trouxe tecnologias mais modernas e eficientes à rede de suprimentos do carro. Simomura cita alguns exemplos, entre eles a central multimídia com novas funcionalidades, desenvolvida para a Toyota pela Pioneer, que monta o sistema em Manaus (AM). Outro exemplo é a tecnologia de solda a laser, mais precisa, adotada por um fornecedor para produzir a estrutura metálica dos bancos, para atender a Adient, que faz a montagem final dos assentos. A solução também foi assimilada pela Usiminas, que fornece chapas de aço de espessuras diferentes já soldadas a laser para aplicação no carro. Para a carroceria mais resistente do novo Corolla, a Gestamp adotou processo de estamparia a quente.

O isolamento do assoalho do carro ficou 18% mais eficiente na absorção acústica, graças a uma nova técnica que permite fundir o feltro em uma só peça – antes o material era colado em placas, o que tomava mais tempo e era menos eficiente.

OS FORNECEDORES DO COROLLA 2020

Fonte:http://www.automotivebusiness.com.br/noticia/29821/novo-corolla-aumenta-base-de-fornecedores-da-toyota-no-brasil