Nokia:5G será uma rede única, convergente e multisserviço

A 5G é a mais fixa das redes móveis e sua implementação não representará apenas uma superposição de redes, alertou Luiz Tonisi, diretor de Vendas e Operações da Nokia, em sua apresentação no Painel Telebrasil 2018, nesta quinta-feira, 24/05. Ele observou que não basta trocar as estações radiobase (ERBs) e instalar rádios 5G ready, uma vez que a arquitetura de rede é totalmente diferente. Tonisi classificou a 5G como o centro da quarta revolução industrial, ao lado de um conjunto de tecnologias habilitadoras como robótica, inteligência artificial, realidade virtual e cloud. A 5G deverá proporcionar ganhos de US$ 1 trilhão.

Tonisi mostrou a evolução da Nokia a partir de 2010, com uma série de aquisições, como a da Alcatel-Lucent, e a venda de divisão de terminais para a Microsoft. Hoje, a empresa é focada em equipamentos de rede, desenvolvendo inclusive seus próprios chipsets e com uma estratégia baseada em arquitetura digitalizada e convergente.

Para o executivo, a rede será única, convergente e multisserviço, e sua oferta dependerá da estratégia da prestadora de serviços. Segundo ele, a 5G tem 1 milhão de dispositivos conectados por km2; uma latência de 1 milissegundo; e 1 gigabyte por segundo de velocidade. Não por acaso, a operação do futuro terá de ser preditiva, com foco na transformação digital por meio do software e serviços suportados por machine learning para entender e prever as reações dos usuários ou máquinas.

“Temos iniciativas nesse sentido em SOC para agrupar todas as informações do que está ocorrendo na rede de forma virtualizada para fazer a gestão dessas operações. A forma de operar 5G será totalmente diferente do que fazemos hoje. Outra mudança será a empresa do futuro, que será baseada em verticais como de utilities, manufatura, finanças, telcos. A estratégia da Nokia está focada nesses três pontos: rede, operação e verticais”, concluiu Tonisi.

 

Luiz Tonisi

Agência Telebrasil