Municípios têm de se preparar para a revolução do 5G

“Se no 3G e 4G falávamos em velocidades maiores, o 5G habilita características e negócios diferentes”, destaca a líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações da Deloitte, Márcia Ogawa.

Fórum Cidades Inteligentes, IoT e Conectividade: Perspectivas e desafios

Ao participar do Fórum Cidades Inteligentes, IoT e Conectividade: Perspectivas e desafios, realizado pelo SindiTelebrasil e pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, a líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações da Deloitte, Márcia Ogawa, enfatizou como é importante que as cidades se preparem para a iminente chegada do 5G e seu poder transformador na economia.

5G

“A conectividade é a base da economia digital, por isso é tão relevante discutir a vinda para o Brasil do 5G, que é o elemento que vai habilitar a economia digital, que por sua vez vai habilitar a inserção do País nas cadeias globais, nos projetos de smart cities. É fundamental que tenhamos um ambiente propício para difundir a conectividade”, afirmou.

Cidades Inteligentes

A nova onda tecnológica, reforçou Márcia Ogawa, possibilita mais que simplesmente um incremento em megabits por segundo; ela possibilita novos tipos de negócios, como o atendimento de saúde remoto e a indústria 4.0. “Até aqui tudo era focado na comunicação entre as pessoas. Mas com o 5G também teremos comunicação entre máquinas, entre outros elementos. Não é uma mudança incremental, mas transformacional”, sinalizou a executiva da Deloitte. Assistam à entrevista.

Imagem de Tumisu por Pixabay

Fonte: Agência Telebrasil