Metalúrgicos protestam contra MP 905 e corte de direitos

Mais de 5 mil metalúrgicos da região posicionaram-se contra a Medida Provisória 905, nesta quinta-feira (5), Dia Nacional de Mobilizações. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos organizou assembleias em 11 fábricas de São José, Caçapava e Jacareí.

Em todas elas, foi demonstrada a indignação da categoria aos ataques promovidos pelo governo Bolsonaro contra os direitos trabalhistas. As assembleias aconteceram na General Motors, Prolind, TI Automotive, Parker Filtros, Ericsson, Gerdau, Graúna e Forming Tubing, em São José dos Campos, MWL e Blue Tech, em Caçapava, e Chery, em Jacareí.

O Dia Nacional de Mobilizações foi convocado pela CSP-Conlutas, em protesto contra os severos cortes de direitos instaurados no país por meio da MP editada em novembro pelo presidente Jair Bolsonaro.  

Protesto na Praça Afonso Pena


Depois das mobilizações nas fábricas, sindicatos, partidos políticos e movimentos populares realizaram um ato na Praça Afonso Pena, centro de São José dos Campos.

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos & CSP-Conlutas

Os manifestantes distribuíram para a população uma cartilha produzida pelo Sindicato dos Metalúrgicos e CSP-Conlutas, com os direitos trabalhistas retirados ou alterados pela MP 905. A mesma publicação foi distribuída nas fábricas, durante as assembleias.

MP 905

“Este foi o início da nossa luta contra a MP 905. Nas fábricas, ficou claro o quanto os trabalhadores estão indignados com essa medida. O próximo passo será convocar a Greve Geral. É preciso que todas as centrais sindicais rompam com o comodismo, organizem a luta dos trabalhadores e pressionem o Congresso Nacional para derrubar essa MP”, disse o presidente do Sindicato, Weller Gonçalves.

Foto:Rodolfo Moreira