Hospital de transição chega a São José dos Campos

Royal Care é referência em hospitais de transição no Brasil e o primeiro na cidade.

O Royal Care Hospital de Transição, chega a São José dos Campos com o objetivo de oferecer uma especialidade de tratamento e de cuidados que não é encontrada em hospitais gerais e de alta complexidade.

Esta será a segunda unidade da rede, que já conta atualmente com a matriz em Vitória, Espírito Santo. Para o presidente do Grupo Royal Care, o objetivo é levar para a população Joseense o que existe de mais inovador no mundo. “O nosso propósito é promover um atendimento mais humanizado através de cuidados específicos e multidisciplinares com um olhar especial para a reabilitação e recuperação de paciente crônicos, garantindo que o paciente tenha uma estadia mais prazerosa no hospital e mais qualidade de vida, independente do quadro clínico”, explica o Gustavo Ribeiro, CEO do Grupo.

Dentro do hospital são oferecidos todos os recursos necessários para uma boa recuperação e reabilitação, como fisioterapia, nutrição, psicologia, assistência social, fonoaudiologia, farmácia, enfermagem especializada em feridas e ventilação mecânica. Essa multidisciplinaridade faz do Hospital de Transição Royal Care um serviço único no atendimento hospitalar.

São 3 tipos de serviços disponibilizados no Royal Care:

TRANSIÇÃO

Alternativa à desospitalização quando o home care não é uma opção possível, seja por ambiente inadequado, ausência de cuidador, ou até motivos clínicos. Foco na otimização da capacidade funcional e na preparação do paciente e da família para os cuidados de longo prazo, quando possível em ambiente doméstico. Paciente indicado pelo hospital geral/alta complexidade ou home care 24h que complica por algum motivo e depois permanece na instituição e não pode mais retornar para a casa. Ex: Acidentes graves e processos degenerativos.

PALIATIVO

Cuidados paliativos para pacientes oncológicos ou não.

Ainda que não no final da vida, fica por um período, apresenta melhora, aumento do conforto e alívio com a situação e volta para casa. É comum o retorno para o hospital de transição para ter o término de vida com melhor qualidade e dignidade. Ex: Pacientes com câncer incurável, demência avançada.

LONGA PERMANÊNCIA

Pacientes com indicação para o cuidado de feridas e curativos complexos, distúrbios nutricionais elegíveis a nutrição enteral e parenteral, ventilação mecânica permanente, internações prolongadas.

Possui similaridade com os casos do Longa Permanência, porém com gravidade menor e situação “curável” ou menos agressiva, quando depois de um período (normalmente entre 30 e 60 dias) ele pode retornar para casa de forma segura. Ex: AVC, cirurgias ortopédicas como uma fratura de fêmur.

Nós entendemos que muitas vezes o home care não é possível para a família, por diversos motivos, por isso estamos aqui, para oferecer uma opção segura e humanizada”, finaliza o Ribeiro.

Royal Care Hospital de Transição

Para o plano de saúde, a opção do hospital de transição também é uma possibilidade positiva. “Em média, o plano de saúde chega economizar 70% do valor da internação quando utilizado o modelo de transição. Somos reconhecidos por toda a nossa competência, nossa ética, respeito, acolhimento e comprometimento por cada um que passar pelo nosso hospital”, complementa Gustavo.

Instagram